Prefeito diz que em Montenegro o decreto deve ser emitido durante a semana, preferindo conversar antes com as entidades de classe - Arquivo/FN Arquivo/FN

O prefeito de Montenegro, Carlos Eduardo Müller (Kadu), logo após a reunião com demais prefeitos da Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí (AMVARC), ocorrida nesta tarde, disse que na próxima semana deve ser emitido novo decreto, com o comércio e serviços retornando a funcionar, mas de forma gradativa. Já as indústrias estão liberadas.

“Vamos iniciar com 30% da capacidade dos estabelecimentos e ir liberando aos poucos”, informou Kadu, lembrando a importância da prevenção quantos as medidas de higiene e limpeza, além de evitar aproximação entre pessoas e aglomerações. “Alinhamos um posicionamento quanto a minimização das restrições do comércio e área de serviços. Queremos melhorar a situação da economia, dar a importância que ela precisa neste momento, mas não podemos esquecer da saúde”, completou. Alertou para as pessoas procurarem ficar em casa, principalmente os idosos, com muitos cuidados em razão do coronavírus. “Nosso trabalho, junto aos prefeitos da AMVARC, para flexibilizar o decreto de restrição ao comércio, prestação de serviços e outras atividades, para que a economia retorne ao seu patamar de forma gradativa, foi um passo importante hoje a tarde com os demais prefeitos. Mas o mais importante é a saúde e nos preservarmos”, ressaltou, em vídeo divulgando no facebook da Prefeitura.

Para a reportagem, Kadu disse que uma minuta do novo decreto vai ser elaborada no final de semana, entre os municípios. Em Montenegro, antes de emitir o novo decreto, o prefeito diz que vai conversar com representantes de entidades de classe. Só depois, durante a semana, deve emitir o novo decreto.

Algumas medidas não devem mudar, como a proibição de eventos e aulas. E também a exigência quanto a higiene e limpeza, além de evitar a concentração de pessoas.

Nota da AMVARC

Em deliberação conjunta dos Prefeitos da região, em vista das medidas que estão em curso para evitar ou reduzir o avanço da pandemia do coronavirus que assola o mundo, comunica a população que vem acompanhando os acontecimentos, bem como a situação epidemiológica no país e em nosso Estado, confirmando o resultado positivo das ações até agora praticadas com firmeza e responsabilidade. Por isso, os gestores estão analisando a possibilidade de ajustar parte do decreto de calamidade pública à dinâmica dos fatos e sobretudo à necessidade de compatibilizar as restrições impostas com a sobrevivência da nossa economia, já combalida pelos efeitos da seca.

Assim, o decreto permanece vigorando com todos os seus termos inalterados até o dia 30/03/202, quando haverá uma definição conclusiva sobre as novas medidas a serem adotadas, no sentido de retomar as atividades produtivas, agropecuárias, serviços e comerciais, mantendo as restrições aos grupos de risco e todas as exigências sanitárias, de limpeza, de uso de materiais e equipamentos e da vedação às aglomerações.

A AMVARC e os Prefeitos Municipais tem a certeza de que as restrições adotadas até o presente momento se fazem imperiosas e estão gerando resultados, mesmo com seus efeitos colaterais. A hora é de agir com determinação para retomar a atividade geral da comunidade, mas jamais abrindo mão dos cuidados e procedimentos de prevenção e precaução efetiva.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here