Prisma atingiu professora que não resistiu aos graves ferimentos /Reprodução/FN

Morte de Aline causou muita revolta e uma manifestação está prevista para os próximos dias

O motorista do automóvel Prisma, que atropelou e matou a professora Aline Fabiana da Rosa Silva de Sá, estava participando de um racha com outro carro. Além disso, o condutor do Prisma, de 36 anos, que não teve o nome divulgado, está com o direito de dirigir suspenso. As informações são do delegado Paulo Ricardo Costa, titular da 1ª Delegacia de Polícia de Montenegro, e do chefe de investigação Alisson Castilhos.

Segundo o delegado, foram analisadas imagens de câmeras que confirmaram a aproximação entre os veículos, a alta velocidade e a disputa de uma “corrida”. De acordo com o delegado Paulo, isso já estaria ocorrendo a alguns quilômetros antes do local do acidente, que ocorreu na Rua Campos Neto, próximo ao Sesi, na calçada em frente ao condomínio Erico Veríssimo, do bairro Senai. O acidente ocorreu no final da tarde de sábado, dia 4, por volta de 17h45. Aline, de 39 anos, estava na calçada junto com a filha Eduarda, de 16 anos. A professora, que era diretora numa escola estadual em Triunfo, foi atingida em cheio, sendo arremessada por vários metros. Sofreu traumatismo craniano e outras lesões graves, vindo a falecer no início da madrugada de domingo. Já Eduarda teve lesões leves, mas ficou em estado de choque com a perda da mãe.

Conforme apurou a Polícia, os motoristas do Prisma e de um Golf já teriam uma desavença anterior e disputavam o “pega”. “Fizemos diligências na Timbaúva, desde a rua Bruno de Andrade”, cita Alisson, sobre o trajeto feito pelos dois veículos. Segundo a Polícia, para a Brigada Militar o motorista do Prisma teria dito informalmente que estava mesmo participando de um racha, mas já no depoimento preferiu não se manifestar, alegando que só falaria na Justiça. Já o condutor do Golf negou que fosse um racha e que o Prisma teria se perdido ao efetuar uma ultrapassagem em alta velocidade

O acusado do atropelamento vai responder o processo por homicídio de trânsito, com o agravante da alta velocidade e as vítimas serem atingidas em cima da calçada. Já a defesa do motorista do Prisma alega que sua carteira de habilitação está em situação normal, sem qualquer suspensão ou restrição, tendo feito a reabilitação após excesso de pontuação por multas. Sobre a alta velocidade e o indiciamento, a defesa aguarda a conclusão do inquérito, o que deve ocorrer em cerca de 30 dias. Se for comprovado o racha, o condutor do Golf também deve responder processo.

De acordo como delegado e o chefe de investigação, ainda devem ocorrer mais diligências e tomada de depoimentos. Os dois motoristas devem prestar novos depoimentos, assim como testemunhas. São aguardados os laudos do Instituto Médico Legal e da perícia. Quem tiver alguma informação pode entrar em contato com a Polícia através dos telefones 197 ou 3632 1111.

Caminhada
Familiares, colegas e amigos da professora Aline Fabiana e de sua filha Eduarda estão organizando uma manifestação para pedir por justiça. A concentração está prevista para ocorrer na frente da Delegacia de Polícia de pronto atendimento (DPPA), na avenida Júlio Renner (Via Dois), da Timbaúva, por volta de 17h do dia 22 de agosto, uma quarta-feira.

Após, o grupo deve seguir em caminhada até o local do acidente, na Rua Campos Neto.

Deixe seu comentário