Cobertura alugada pelos artesãos estava paga, mas foi retirada para a colocação de outra da Prefeitura - Reprodução/FN

A 16ª edição da Feira Natalina de artesanato e produtos coloniais está acontecendo desde 4 de dezembro na calçada da rua São João, junto a Praça Rui Barbosa, no centro de Montenegro. A feira, realizada pela Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Turismo (SMIC), com a participação da Associação Montenegrina de Artistas (Amarti), está com um espaço menor em relação aos anos anteriores. Em outras edições chegou a contar com 60 expositores. Hoje são pouco mais de vinte. Mesmo assim são muitas as opções de enfeites de Natal, artesanato e produtos coloniais. Lisa Borchardt, integrante da Amarti, lembra que é uma feira que nasceu entre artesãos, na maioria participantes dos Grupos Organizados do Lar (Gols), com o apoio da Emater.

Lisa Borchardt (à esquerda) protestou e se retirou da Feira Natalina
– Facebook/Reprodução

Lisa lamenta que devido ao baixo incentivo e valorização, o grupo está enfraquecido. Apesar das dificuldades, o grupo se uniu e dividiu custos. Inclusive as estruturas (pirâmides) da cobertura foram custeadas pelos próprios artesãos. A Prefeitura auxiliou no acesso a energia. E a feira começou a funcionar diariamente, das 8h30 às 19h, com previsão de ir até 21 de dezembro.

Feira desmontada

Na manhã de hoje, quinta-feira, dia 13, causou surpresa que a estrutura coberta da feira foi desmontada. O fato causou estranheza porque conforme a programação do Natal é Arte, divulgada pela Prefeitura, a Feira Natalina iria até o dia 23 de dezembro.

Cobertura alugada pelos artesãos foi desmontada para ser substituída por outra da Prefeitura
– Reprodução/FN

A informação é de que a Feira Natalina ficaria fechada nesta quinta-feira para a troca da estrutura coberta. As pirâmides locadas pelos artesãos foram retiradas para serem substituídas por uma nova cobertura contratada pela Prefeitura.

Lisa Borchardt lamentou o que considerou desajustes e atropelos pelo poder público. “Fomos informados pela Prefeitura, uma semana antes do início da feira, que não forneceriam a estrutura coberta. Então alugamos e pagamos até o dia 21. Mas agora fomos informados que deveríamos remover e transferir a feira para novas estruturas. Sem chances de ficar como estávamos, hoje ficamos interditados”, declarou Lisa, que decidiu se retirar da feira. “Um monte de gente me perguntou se a feira terminou. Expliquei que estava trocando de estrutura, porque a Prefeitura se atrapalhou e deu essa confusão. Mas a Feira Natalina vai continuar na sexta-feira (dia 14). Eu voltei para o meu atelier Não faço mais parte da Feira Natalina”, protestou. “Retirei-me porque foi o estopim. Desde 2016 a Feira Natalina vem sofrendo com a falta de estrutura. Foi muito deselegante e falta de respeito o que fizeram. Faltou incentivo e apoio”, reclama. Lisa lembra que a cobertura já tinha sido paga pelos artesãos até o dia 21, para uma empresa local que deu desconto. E agora foi contratada a estrutura de outra empresa. “Não tem cabimento. Vão pagar duas vezes, pelos artesãos e agora pela Prefeitura”, desabafa.

A reportagem entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Montenegro. A informação era de que estava apenas trocando a cobertura e por isso não funcionou a Feira Natalina nesta quinta-feira, devendo voltar à normalidade amanhã, sexta-feira. A Prefeitura ficou de enviar esclarecimentos sobre a troca de cobertura no meio da feira e o fato de pagar novamente.

Deixe seu comentário