A Secretaria Estadual da Saúde (SES/RS), por intermédio do Departamento de Assistência Hospitalar e Ambulatorial (Daha), informa que enviou na última quinta-feira, 1º de outubro, notificação para que o Hospital Montenegro retome imediatamente os atendimentos, conforme contrato firmado, visto que os pagamentos por parte do Estado estão em dia e em absoluta regularidade. Portanto, no entender do Governo, não há falta de repasse do Estado nem motivos que justifiquem a instituição encerrar o serviço sem um prazo para que seja reorganizada outra referência aos pacientes. A Secretaria Estadual da Saúde informa que monitora o cumprimento de cada contrato com foco na responsabilidade com a execução do recurso – que é público – e que deve sempre retornar em serviços prestados à população.

No início da tarde de quinta-feira, a direção do Hospital Montenegro (HM) publicou nota confirmando o encerramento das atividades eletivas na instituição. A notícia já tinha sido divulgada pelo site do Fato Novo na noite de quarta-feira, com base em comunicado encaminhado aos municípios da região e ao Governo do Estado. Na manifestação, assinada pelo diretor técnico do HM, médico Jean Emandorena, o Hospital Montenegro comunicou que não seriam mais realizadas consultas, exames e procedimentos a nível ambulatorial, conforme proposta de plano operativo encaminhada a Secretaria Estadual de Saúde. A direção da casa de saúde lamenta que desde 2015 o financiamento do contrato está reduzido, ou seja, vem recebendo menos recursos para os atendimentos. Enquanto isso, cita que a inflação na área da saúde chegou a 35% nos últimos 4 anos. E preocupação é que o déficit gerado pode levar ao colapso da instituição.

Alegando não ter mais capacidade econômica para arcar com os custos destes importantes serviços de saúde, a direção do HM solicitou uma adequação contratual junto ao Estado. E informou que os pacientes que necessitarem dos atendimentos eletivos seriam encaminhados para outros centros de saúde. Sobre a notificação por parte do Estado, o diretor administrativo do HM, Carlos Batista da Silveira, confirma que os repasses do Estado estão em dia, mas alegou desequilíbrio financeiro que ocorre a cinco anos, lamentando os cortes nos recursos.

Retomada

Ontem, terça-feira, prefeitos e secretários de saúde da região, participaram de uma reunião online para tratar sobre a questão. Também na tarde de ontem a direção do Hospital Montenegro comunicou que os serviços eletivos foram retomados, inclusive articulando com a Regulação Estadual para oferta através do SISREG (Sistema Nacional de Regulação) do Ministério da Saúde.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here