UTI do Hospital Montenegro está lotada e cada vez com pacientes mais jovens - Crédito: Guilherme Baptista/FN

Em entrevista para a Rádio América, a coordenadora regional de saúde, Ana Maria Rodrigues, confirmou que o Hospital Montenegro (HM) poderá ter mais leitos de UTI para receber pacientes de coronavírus.

Na última semana, durante entrevista coletiva, a direção e médicos do HM manifestaram preocupação com relação à lotação da UTI, já que todos os leitos chegaram a ficar ocupados. E a situação não é diferente de outros hospitais, como de Canoas, que é a referência em saúde para Montenegro e maior parte dos municípios do Vale do Caí. Por isso a região 8 no sistema de distanciamento controlado do Governo do Estado, que tem Canoas como referência, está com bandeira vermelha, de risco alto, com restrições ao comércio e serviços, só podendo funcionar atividades essenciais, justamente visando conter o avanço do coronavírus.

Ex-secretária em Montenegro, Ana Maria Rodrigues agora é coordenadora regional de saúde e falou dos investimentos
Crédito: Reprodução/FN

De acordo com Ana Maria, que coordena 1 ª Coordenadoria Regional de Saúde, composta por 41 municípios, que tem 28 hospitais, estão sendo mantidos contatos com a direção do HM e com a Prefeitura. Ana Maria foi secretária de saúde de Montenegro e conhece bem a realidade do município e da região. Segundo ela, o HM pode receber entre 5 a 10 leitos. Ela lembra também da instalação de cinco leitos de UTI no Hospital Sagrada Família, de São Sebastião do Caí. Além dos equipamentos, ressalta a necessidade de medicamentos, materiais e profissionais. Defende o sistema de distanciamento controlado do Estado e pede que a população faça a sua parte, pois é preciso reduzir a circulação de pessoas para evitar o avanço do Covid-19.

O diretor do Hospital Montenegro, Carlos Batista da Silveira, confirma que está sendo estudada a ampliação dos leitos da UTI. A princípio, segundo ele, seriam mais seis. Inclusive o Governo anunciou, na última segunda-feira, que o HM vai receber seis respiradores. Mas Batista ressalta que existe a dificuldade de profissionais. Na entrevista coletiva da última semana a direção já tinha informado que a ampliação da UTI dependia de investimentos e da habilitação do Ministério da Saúde. Atualmente a UTI do HM tem dez leitos, sendo que quatro estão isolados para atendimento de pacientes confirmados ou suspeitos para coronavírus. Estão disponíveis mais seis ventiladores, em caso de emergência, mas a utilização depende também de suporte técnico.

Cirurgias eletivas suspensas

O Hospital Montenegro (HM) voltou a suspender as cirurgias eletivas. Desta vez o motivo é a grande propagação do coronavírus no Estado e a sinalização de falta de medicação no mercado. Conforme a direção do HM, muitas Instituições já estão encontrando dificuldades na reposição de alguns itens.

HM suspendeu cirurgias eletivas devido ao risco de falta de medicamentos
– Arquivo/FN

Desde ontem, quarta-feira, 1º de julho, estão suspensas as cirurgias eletivas. “Lamentamos muito pela medida, mas destacamos que ela é necessária, a fim de evitar o desabastecimento de medicações para o tratamento de pacientes Covid-19”, informou a direção do HM. E a partir da próxima segunda-feira, 6 de julho, também serão suspensos os procedimentos eletivos de Endoscopia e Colonoscopia. Outros hospitais do Estado estão tomando a mesma medida. O maior problema é a falta de anestésicos e sedativos usados em procedimentos e para pacientes intubados. A dificuldade de aquisição ocorre em nível nacional.

O Hospital Montenegro tinha retomado as cirurgias e serviços eletivos ambulatoriais no último mês de maio, quando voltaram a ser chamados pacientes que estavam agendados no período de suspensão e aguardavam na lista de espera. Mas agora as cirurgias eletivas voltaram a ser suspensas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here