Prefeitura tem hoje poucas máquinas disponíveis para realizar melhorias nas estradas - Crédito: ACOM/Prefeitura

O ex-vereador Ari Müller assumiu como secretário municipal de Desenvolvimento Rural faz uma semana, mas já viu as dificuldades que terá pela frente, principalmente para colocar em dia as condições precárias das estradas do interior de Montenegro, que é a principal reivindicação dos agricultores. “O maquinário está bastante parado. E são muitas normas”, disse Ari, lamentando a burocracia para se arrumar as máquinas. Quando vereador, em três mandatos, ele lembra que várias vezes criticou a Prefeitura devido a demora, mas agora como secretário está vendo as dificuldades para atender os produtores rurais.

Novo secretário de desenvolvimento rural, Ari Müller, e o prefeito Kadu Müller, conversaram com a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Regina Silveira, sobre a situação das estradas
– ACOM/Prefeitura

Ari fez um relato da situação de algumas máquinas. “Das cinco retroescavadeiras, duas estão funcionando. Dos três caminhões truck, dois estão parados. Quatro caminhões toco estão parados. Duas escavadeiras estão trabalhando. Uma carregadeira está funcionando e três estão paradas”, informou, em entrevista ontem, quinta-feira, para a rádio América. O mais grave é a situação das motoniveladoras, já que as chamadas patrolas são fundamentais para a recuperação das estradas. “Das seis patrolas, uma agora está saindo da oficina. As outras seis não estão funcionando”, lamentou. “Estamos fazendo de tudo para agilizar. Em 30 dias esperamos que todas estejam funcionando”, espera, otimista. E não é só isso. “Hoje não tem nenhuma roçadeira. Está vindo uma articulada”, informou, sobre o equipamento para roçada das margens das estradas. E o caminhão prancha, usado para levar as máquinas até as localidades, não pode rodar porque falta regularizar a sua documentação.

Vereador Valdeci Castro tem cobrado melhorias nas estradas
– Facebook/Reprodução

Outro problema é a falta de material para colocar nas estradas. “Hoje não temos nada”, revela Ari, sobre a falta de saibro e brita. Ele cita que terá uma grande doação de saibro e está sendo comprado brita pela Prefeitura.

O novo secretário entende as reclamações dos agricultores, principalmente com relação às estradas, mas pede paciência. “Só no segundo semestre para fazer estrada mesmo. Precisamos colocar as máquinas em dia e torcer para que o tempo melhore”, declarou Ari. “Não falta dinheiro. O problema é a burocracia”, diz Müller. “São mais de 200 pedidos de serviços pelos agricultores, incluindo acessos e terraplanagem para as propriedades”, cita. Ele informa que está em estudo a terceirização do maquinário, para atender melhor os agricultores.

Alguns agricultores estão usando seus próprios tratores para realizar melhorias nas estradas
– Facebook/Reprodução

A situação é tão crítica que alguns agricultores têm usado seus próprios tratores e ferramentas para tapar buracos e melhorar o estado precário das estradas do interior. O vereador Valdeci Alves de Castro, que já foi secretário municipal e tem sido bastante crítico com relação ao estado das estradas, chegou a mostrar em sua página no facebook fotos de diversas vias do interior. Além dos buracos e a falta de manutenção, também mostrou os próprios agricultores tapando buracos e fazendo a roçada. “Hoje não tem uma estrada do interior em condição de andar. A população está fazendo o serviço, já que a Prefeitura não faz”, protestou.

Falta de CFO

As reivindicações dos agricultores não ficam por aí. Além das estradas, uma “novela” antiga é a falta de emissão do certificado fitossanitário de origem (CFO) pela Prefeitura de Montenegro. Isso é importante para os agricultores, principalmente produtores de frutas cítricas, como bergamota, laranja e limão, poderem transportar e vender a produção para outros Estados. O CFO serve para comprovar a condição sanitária da origem da fruta, prevenindo a disseminação de pragas e permitindo a sua comercialização para fora do Estado e até para outros países. Sem o certificado não tem como vender para fora do Rio Grande do Sul. Por isso alguns produtores de Montenegro chegam a tirar notas do talão do produtor por outros municípios, recebendo o CFO através de Prefeituras de cidades vizinhas. E com isso Montenegro perde também em arrecadação. “O CFO para este ano ainda não será possível fazer. Estamos estudando como fazer”, explica Ari Müller, sugerindo também a terceirização ou via Consórcio Intermunicipal (CIS-Caí).

Estes e outros assuntos foram discutidos em reunião na tarde de ontem, quinta-feira, entre Ari Müller com o prefeito Kadu Müller e a presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Montenegro, Maria Regina Silveira. A principal reivindicação, é claro, foi a melhoria das estradas e o atendimento aos agricultores.

Ari já está preparado para ouvir os pedidos também na XX Abertura Estadual da Safra de Citros, que vai ocorrer na próxima sexta-feira, dia 24 de maio, na localidade de Santos Reis, em Montenegro. Os produtores precisam de boas estradas e acessos para fazer o escoamento da produção, principalmente agora com a safra da bergamota.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here