No início da tarde desta quinta-feira, 1º de outubro, a direção do Hospital Montenegro (HM) publicou nota confirmando o encerramento das atividades eletivas na instituição. A notícia já tinha sido divulgada pelo site do Fato Novo na noite de ontem, quarta-feira, com base em comunicado encaminhado aos municípios da região e ao Governo do Estado.

Na manifestação de hoje, assinada pelo diretor técnico do HM, médico Jean Emandorena, o Hospital Montenegro comunica que a parte desta quinta-feira não serão realizadas consultas, exames e procedimentos a nível ambulatorial, conforme proposta de plano operativo encaminhada a Secretaria Estadual de Saúde. A nota lembra que, no período de 2017 e 2020, foram realizadas 2.833 cirurgias de especialidades como oftalmologia, bocomaxilofacial, ginecologia, ortopedia, traumatologia, cirurgia vascular, otorrinolaringologia, gastroenterologia, cirurgia torácica e cirurgia geral, sendo realizados 357.317 mil exames complementares. No último ano, conforme o HM, foram realizadas 18.122 consultas ambulatoriais. A direção da casa de saúde lamentaque desde 2015 o financiamento do contrato está reduzido, ou seja, vem recebendo menos recursos para os atendimentos. Enquanto isso, cita que a inflação na área da saúde chegou a 35% nos últimos 4 anos. E preocupação é que o déficit gerado pode levar ao colapso da instituição.

Alegando não ter mais capacidade econômica para arcar com os custos destes importantes serviços de saúde, a direção solicita uma adequação contratual junto ao Estado. Enquanto a situação não é resolvida, os pacientes que necessitarem dos atendimentos eletivos terão de ser encaminhados para outros centros de saúde.

Ainda na noite de ontem a reportagem do Fato Novo manteve contato não só com a direção do HM, que confirmou a suspensão, como também com a Coordenadoria Regional de Saúde e com a Secretaria Municipal de Saúde de Montenegro. A coordenadora da 1ª Coordenadoria Regional de Saúde, Ana Maria Rodrigues, que já foi secretária de saúde de Montenegro, disse que a decisão do HM está sendo avaliada pelo Departamento de Assistência Hospitalar Ambulatorial (DAHA) da Secretaria Estadual da Saúde. Já a secretária municipal de saúde de Montenegro, Cristina Reinheimer, diz que a situação ainda está sendo analisada. O Secretários de saúde e prefeitos da região demonstraram preocupação e devem realizar reunião para tratar sobre o assunto.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here