UTI do Hospital Montenegro está lotada e cada vez com pacientes mais jovens - Crédito: Guilherme Baptista/FN

O Vale do Caí tem atualmente cerca de 6 mil casos confirmados de coronavírus, dos quais em torno de 5 mil estão recuperados e as vinte cidades integrantes da Associação dos Municípios do Vale do Caí (Amvarc) somam 97 óbitos de pacientes com covid-19. Segundo os médicos, o Estado vive o momento mais crítico da pandemia, devido ao aumento no número de casos e internações.

Maior casa de saúde da região e única instituição com atendimento totalmente gratuito através do 100% SUS, o Hospital Montenegro (HM) realizou uma reunião na última terça-feira, com a participação de representantes de municípios, Coordenadoria Regional de Saúde e de hospitais da região. O objetivo foi discutir um plano de ação referente à reorganização dos atendimentos de pacientes diagnosticados com Covid-19, devido ao aumento de casos, e a reabertura de seis leitos de UTI Covid.

Direção e médicos do HM pedem que casos sem gravidade não sejam encaminhados ao hospital
– Crédito: Arquivo/FN

O diretor técnico do hospital, médico Jean Ernandorena, salientou a preocupação com o grande número de pacientes sem urgência (azuis e verdes) encaminhados ao HM através das secretarias municipais de saúde. Ele ressaltou a importância da resolução desses casos sem gravidade em seus municípios, para que a Instituição possa estar cada vez mais preparada para urgências e emergências que as cidades necessitarem. Por isso pediu que os municípios evitem enviar pacientes de casos de menor gravidade para a instituição, já que o hospital tem focado no atendimento dos casos mais graves. Ernandorena revelou que a ocupação dos leitos está alta, citando que naquele momento da reunião tinham 16 pacientes com coronavírus internados, sendo 4 na UTI e 12 na Unidade de Internação.

Seis leitos para pacientes com Covid serão reabertos
– Crédito: HM

Já o diretor executivo do HM, Carlos Batista da Silveira, frisou a importância da colaboração das cidades vizinhas, especialmente em janeiro de 2021, onde iniciará a obra de reforma do Pronto Socorro, no qual o valor foi concedido através da Consulta Popular. Nesse período, devido às obras, o hospital não atenderá casos de menor gravidade. Sobre a reabertura de seis novos leitos para casos de coronavírus, Batista diz que o Hospital Montenegro já estão se organizando, pois para isso será preciso ampliar o corpo clínico e de assistência, com a contratação de mais profissionais para o atendimento.

 

 

 

Mais jovens

O Rio Grande do Sul está tendo um número recorde de casos confirmados de coronavírus. Praticamente todo o Estado está em bandeira vermelha, de risco alto para o contágio, no sistema de distanciamento controlado. Em razão disso foram adotadas novas medidas de restrições, visando principalmente evitar aglomerações. “Houve um aumento considerável de casos nos últimos dias. Estamos trabalhando no limite. Em nenhum outro momento da pandemia tivemos tantos pacientes doentes que necessitam de hospital”, afirma o diretor técnico do HM, médico Jean Ernandorena.

Conforme levantamento da Secretaria Estadual da Saúde, se nota um número maior de transmissão da doença entre os mais jovens. E isso é notado também nas internações. “Percebemos uma mudança no perfil do paciente que fica doente. Num primeiro momento eram pacientes com mais comorbidades e idade mais elevada. Agora são os jovens que estão precisando de atendimento”, alerta. Mesmo com o número de internações em alta, não aumentaram os óbitos. Segundo Ernandorena, os profissionais já têm mais conhecimento para tratar a doença, o que fez diminuir muito a mortalidade. A gente já sabe o que funciona e o que não funciona, tendo melhores resultados. Existem mais pacientes, mas com um desfecho melhor”, avalia. Mas o doutor Jean alerta que as pessoas não devem relaxar nas medidas de prevenção. “Existe uma vacina no horizonte, que logo estará disponível, mas até lá a população tem que saber que estamos próximos de 100% de ocupação e existe sim o risco de não podermos atender a todos com a qualidade necessária”, ressalta.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here