Cinco acusados foram presos /Crédito/Polícia Civil

Polícia prendeu cinco integrantes de facção acusada dos crimes

Na última quinta-feira, dia 9, por volta de 9h da manhã, a equipe de investigação da 1ª Delegacia de Polícia de Montenegro, com apoio de policiais da Delegacia regional, efetuou o cumprimento de 3 mandados de busca e de 5 prisões preventivas. Conforme o delegado Paulo Ricardo Costa, duas prisões ocorreram dentro do Sistema Prisional, já que os acusados já estavam no presídio. E os outro três acusados eram indivíduos que também já estiveram presos.

O delegado Paulo Costa informou que a Polícia começou a investigar a autoria de alguns incêndios que foram cometidos em zona conflagrada pelo tráfico de drogas. Conforme foi apurado, os integrantes de uma facção criminosa estavam coagindo pessoas e intimidando possíveis concorrentes. Ainda, durante os atos de investigação, ficou claro que a organização criminosa possuía ligação com indivíduos que estão no Sistema Prisional, partindo as ordens de dentro da Penitenciária Modulada de Montenegro, na localidade de Pesqueiro, e da Cadeia Pública de Porto Alegre (Presídio Central), local onde estão os gerentes do tráfico, com indivíduos ligados à facção Os Manos.

A Polícia teve acesso a vídeos gravados pelos próprios criminosos. Eles falavam com os líderes por celular, que mandavam como era para incendiar moradias. As imagens eram gravadas para mostrar aos líderes, dentro da cadeia, que a ordem tinha sido cumprida. Vídeos e gravações por áudio também mostram espancamentos e porte de arma de calibre restrito (um fuzil), mas o armamento não foi localizado nas buscas.

Após o cumprimento dos mandados, e a fim de averiguar a informação de um ponto de tráfico ligado ao grupo, os policiais estiveram na residência de um adolescente de 17 anos, encontrando aproximadamente mil reais em dinheiro, 12 pedras de crack e outros materiais. Os nomes dos presos não foram divulgados pela Polícia.

Choro de crianças e desespero
Nos vídeos se percebe a ação dos criminosos, invadindo uma casa e colocando fogo.

Crianças chorando, mulheres correndo e pessoas sendo agredidas. Pelo menos dois casos teriam ocorrido nos últimos dois meses em Montenegro. Os bandidos faziam questão de ostentar armas.

O delegado Paulo Costa, que coordenou a operação Celsius, nome em alusão ao calor do fogo devido a escala termométrica, acredita que os incêndios ocorriam em função de disputa de território pelo tráfico ou acerto de contas com quem não pagou pela droga. Mais casos estão sendo investigados.

Deixe seu comentário