Vereador alegou que tem processo contra o advogado de defesa do prefeito - Crédito: Guilherme Baptista/FN

Na tarde desta quarta-feira, dia 26, na sala de reuniões do Legislativo, o vereador Cristiano Braatz (MDB), o Von, reuniu a imprensa e os membros da Comissão Processante de Impeachment da Câmara, para oficializar sua renúncia como membro da Comissão que investiga supostas irregularidades cometidas pelo prefeito Kadu Müller, conforme denúncia apresentada por Letícia da Silva relativa a contrato do recolhimento do lixo. Acompanhado do seu advogado, Rodrigo Streb, Cristiano fez o protocolo do documento e apresentou suas razões para a medida.

Como está movendo um processo contra o advogado de defesa do prefeito, na Justiça Estadual, Von decidiu se afastar da Comissão Processante, para manter a lisura, transparência e imparcialidade como julgadores, suas impressões, relatório e decisão. O vereador utilizou como analogia o Artigo 145 do Código de Processo Civil, combinado com os princípios elencados no Artigo 37 da CF/88. Cristiano explicou que na sexta-feira ficou sabendo que Jorge Fernandes é advogado de defesa do prefeito Kadu. Como está movendo uma ação de queixa-crime contra Fernandes, relativa a outro caso, Cristiano preferiu se afastar da comissão por entender que deve ter transparência, ética, lisura e imparcialidade no processo. Em dezembro do ano passado, quando era presidente da Câmara, Cristiano foi acusado por Jorge Fernandes de prevaricação. E o vereador entrou com ação contra o advogado por difamação.

Cristiano lembrou ainda que Jorge Fernandes é advogado do vereador Joel Kerber (PP) num processo no Conselho de Ética. E Joel é relator da comissão processante de impeachment. Por isso Cristiano entende que Joel também deveria se afastar da comissão. Mas Kerber pensa de outra maneira. “Não vejo isso como problema”, entende, dizendo que vai continuar na comissão e como relator, inclusive já estando preparando o relatório prévio.

Presente ao ato, a vereadora Josi Paz (PSB), presidente da comissão, recebeu a renúncia, sendo que iria analisar as próximas medidas a serem tomadas, para compor novamente a Comissão, que obrigatoriamente precisa ser integrada por três membros. “O prefeito entregou sua defesa prévia na última sexta-feira. A Comissão teria o prazo de cinco dias úteis para analisar e emitir parecer. Porém, acredito que fica suspenso, até que seja escolhido o novo membro”, declarou Josi, acreditando que o terceiro integrante deverá ser definido nesta quinta-feira, quando ocorre sessão ordinária na Câmara.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here