Ocupação está acima de 80% nos hospitais Montenegro e Unimed - Crédito: Guilherme Baptista/FN

O aumento dos casos e internações por coronavírus faz aumentar a preocupação, principalmente quanto à ocupação dos leitos de UTI na região.

Os dois hospitais de Montenegro, que são os únicos do Vale do Caí que possuem unidades de terapia intensiva, as UTI estão praticamente lotadas. E grande parte dos leitos estão com pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19. A preocupação aumenta em caso de elevação de internações, ainda mais agora com as festas de final de ano, onde costuma ter mais aglomerações devido às confraternizações, o que aumenta o risco de contágio.

Hospital Unimed
– Arquivo/FN

No Hospital Unimed, dos 9 leitos da UTI adulta, 8 estão ocupados, ou seja, 88,9%. Destes, apenas 3 (37,5%), não estariam com pacientes com Covid-19. No último boletim epidemiológico, de quinta-feira, dia 24, estavam internados 6 pacientes com casos suspeitos e 9 com diagnóstico positivo para coronavírus. Um total de 175 pacientes, com coronavírus, já tiveram alta desde o início da pandemia e ocorreram 23 óbitos. “Em dezembro tivemos ocupação alta dos leitos. Esta última semana não foi o nosso recorde, mas ainda persiste uma taxa elevada de utilização”, diz o presidente da Unimed Vale do Caí, médico Everton Machado Bochi. “Estamos atentos a qual será o cenário de janeiro, após passar a época das confraternizações”, completa.

Hospital Montenegro
– Arquivo/FN

No Hospital Montenegro (HM) 100% SUS a situação não é diferente. Dos 16 leitos de UTI adulto, 13 estão ocupados (81,2%), com a utilização de 11 respiradores. Destes, 7 pacientes (53,8%) não são por Covid-19. No boletim epidemiológico deste domingo, dia 27, constam 5 casos suspeitos e 3 confirmados no setor de internação, além de 6 pacientes com diagnóstico positivo na UTI. E até o momento foram registrados 22 óbitos. “Segue preocupante a situação porque a maioria dos casos suspeitos torna-se confirmados”, alerta o diretor do HM, Carlos Batista da Silveira. “Seguimos com a UTI covid lotada, sem perspectiva de melhora, e a UTI clínica da mesma forma”, completa.

No último boletim da Secretaria Municipal de Saúde de Montenegro, divulgado na última quinta-feira, dia 23, o município apresentava 2.478 casos confirmados, dos quais 1635 estavam recuperados e 811 em recuperação, além de 32 óbitos. Chama a atenção o crescimento de casos entre pessoas mais jovens, como de 20 a 29 anos (504), 30 a 39 anos (614) e 40 a 49 anos (452). Além dos casos assintomáticos (sem sintomas), a maioria dos pacientes tiveram febre, tosse, falta de ar, diarréia, dor de garganta, perda de olfato e paladar. “Está aumentando muito o número de casos, internações e óbitos. A população não está obedecendo aos protocolos”, lamenta a secretária municipal da saúde, Cristina Reinheimer, citando que tem ocorrido aglomerações e muitas pessoas não tem usado máscara. A Prefeitura tem alertado através de carro de som e boletins diários. Mas lamentavelmente houve um relaxamento. E a secretária não esconde a preocupação que os casos aumentem com as festas de final de ano.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here