Um dos acusados, que é uruguaio, admitiu que era golpe com rifa falsa, sendo apreendidos talões, fotos de criança e dinheiro - Reprodução/FN

A Brigada Militar e a Polícia Civil alertam para rifas que têm sido oferecidas para a população. Em muitos casos, são mostradas fotos de crianças com problemas de saúde e oferecidas cartelas alegando que se trata de campanha para ajudar no tratamento, além de sorteio de prêmios. Entretanto, em alguns casos tudo não passa de golpe, com rifas falsas, o quê configura crime de estelionato.

Só ontem, terça-feira, dia 22, quatro pessoas chegaram a ser encaminhadas pela Brigada Militar para a Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), após estarem vendendo rifas em Montenegro.

Entre ontem e hoje foram três registros de estelionato envolvendo rifas vendidas em Montenegro
– Reprodução/FN

A primeira ocorrência de ontem foi no início da tarde, por volta de 13 horas, no bairro Aeroclube. Durante patrulhamento tático motorizado, uma guarnição da Força Tática da Brigada Militar recebeu denúncias de que um indivíduo estaria oferecendo rifas de uma criança doente, mas parecia ser um golpe. O indivíduo, de 24 anos e nacionalidade uruguaia, foi localizado. Conforme os PMs, admitiu o golpe. Ele possuía 80 reais em dinheiro e um talão de rifas, além de telefone celular. Informou que tinha vindo de Parobé num automóvel Corsa, com mais três pessoas, sendo duas mulheres. Foi então encaminhado para a DPPA, onde foi lavrada prisão em flagrante por estelionato.

Na mesma tarde, só que duas horas depois, três mulheres foram detidas pela Brigada na Rua Buarque de Macedo, no centro de Montenegro. Duas estavam com blocos de rifas e fotos de uma criança numa cadeira de rodas, além de valores em dinheiro. E uma terceira se encontrava num automóvel Corsa, sendo que dentro do carro tinham mais blocos de rifas. Uma das mulheres informou ser mãe da criança, a qual teria paralisia cerebral e que estava com as amigas efetuando a venda das rifas para adquirir um andador especial para sua filha, que custa cerca de 30 mil reais. As três mulheres foram encaminhadas para a Delegacia para prestar esclarecimentos, sendo depois liberadas. O caso segue em investigação.

No final da manhã de hoje, quarta-feira, dia 23, houve um terceiro registro. Em torno de 11h25min, novamente na Rua Buarque de Macedo, após denúncia para o telefone 190, foi abordada uma mulher vendendo rifas, a qual alegou que seria para arrecadar dinheiro para uma criança acamada. Com elas foram apreendidas várias rifas, 213 reais em dinheiro, celular e fotos de um menino. Foi encaminhado para a DPPA, onde foi lavrada a prisão em flagrante.

Os três casos envolvem nomes e fotos de crianças diferentes nas supostas rifas. A Polícia está investigando para ver se tem relação, já que são casos semelhantes.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here