Amoga está cuidando de "Chico", que teve lesões nas quatro patas, mas a entidade teve despesas com medicação e veterinário - Crédito: Amoga

Em postagem na sua página no facebook, a Associação Montenegrina dos Guardiões dos Animais (Amoga) informa que o cão, chamado de “Chico”, que foi arrastado por uma caminhonete na tarde da última quinta-feira, dia 23, está bem. “Os ferimentos precisaram de cuidados mais intensivos. O sangramento não cessava. Mas agora está bem”, informa a entidade.

Também na postagem no facebook da Amoga Voluntários, foi explicado sobre o pedido de ajuda para o tratamento do cachorro, já que houve algumas críticas nas redes sociais. A Amoga esclarece que num primeiro momento o próprio motorista ficou como responsável pelo animal e deveria arcar com os custos. Entretanto, depois a Amoga foi nomeada como fiel depositário, com despesas com o tratamento. Para isso a entidade buscou arrecadar recursos para curativos, medicamentos e atendimento veterinário, além de ração. Doações podem ser encaminhadas através de depósito em conta bancária no Banrisul  (agencia: 0283, Conta: 06 1135 550 9 e CNPJ: 07.375.418/0001-22). Também podem ser feitos contatos pelo facebook Amoga Voluntários, na Pilger Pet Shop e Mirene Centro Veterinário.

Grande repercussão

Flagrante em Montenegro gerou denúncia na Delegacia por crueldade contra animal, mas motorista da caminhonete nega ter visto que o cão estava amarrado em seu veículo
– Reprodução/FN

A divulgação de um vídeo e foto mostrando o cachorro sendo arrastado enquanto estava amarrado a uma caminhonete Saveiro, causaram grande repercussão e revolta. O veículo trafegava pela Rua Bruno de Andrade, no trecho da Volta do Morro, quando foi flagrada a situação de maus-tratos. Logo que foi acionada, a Polícia Civil localizou o motorista do veículo e o cão. Foi feito um registro na Delegacia de Polícia por crueldade contra animais. Conforme a Polícia, o motorista da Saveiro, de 55 anos, alegou que não tinha visto o cachorro amarrado em seu veículo e assim que foi avisado disse que parou a caminhonete. Ele negou maus-tratos, informando que não era dono do cão, o qual seria um animal de rua, para o qual costumava dar comida. Conforme a Polícia, ele se comprometeu em custear despesas veterinárias e que pretendia ficar com o cachorro. A Polícia também informou que vai apurar quem e por qual motivo o cachorro foi amarrado na caminhonete.

Segundo o veterinário Raphael Zamboni, o cão teve algumas lesões nas almofadinhas plantares (parte debaixo da pata) e nas laterais do dorso. “Ele estava muito machucado nas quatro patinhas. Perdeu a proteção das patas. Uma delas está muito machucada. Estava com muita dor”, relatou a presidente da Amoga, Luiza Kimura. “É um cachorrinho muito dócil e querido”, completa, informando que ele está dormindo numa cama quentinha, enrolado numa manta, com o pratinho cheio e muito amor e carinho. Luiza acredita que o cão poderá ficar com uma das voluntárias da Amoga ou ser encaminhado depois para adoção. “Vimos com muita tristeza o que aconteceu”, afirmou, lamentando os casos de maus-tratos e abandono de animais.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here