Mesmo com a proibição das Kombis no transporte escolar da Prefeitura de Montenegro, Kombi foi usada e ainda caiu a porta - Reprodução/FN

Uma denúncia nas redes sociais chamou a atenção hoje de manhã, segunda-feira. A porta de uma Kombi caiu enquanto fazia o transporte de alunos de Alfama para Santos Reis, no interior de Montenegro.

A denúncia ocorreu justamente quando ocorrem protestos com relação transporte escolar contratado pela Prefeitura. Conforme a Prefeitura, só deveriam ser utilizados ônibus com mais de 25 lugares. Kombis e vans não eram permitidas. Foi feita uma vistoria nos ônibus no Parque Centenário na última quinta-feira e o pregão eletrônico previsto para amanhã foi suspenso.

Já tinham ocorrido denúncias, inclusive de vereadores, que encaminharam o caso ao Ministério Público, de que veículos que passaram na vistoria não seriam os mesmos que estariam transportando os alunos. E neste caso, a denúncia foi confirmada pela própria Prefeitura, a qual prometeu tomar providências.

Nota da Prefeitura

“Empresa responsável pelo transporte escolar será notificada pela Prefeitura Municipal

Um problema envolvendo um veículo do transporte escolar, na manhã desta segunda-feira (11), resultou em uma ação da Secretaria Municipal de Educação e Cultura junto à empresa Alditur Transportes Ltda. Segundo a SMEC, uma denúncia às 7h57min, mostrou que a empresa utilizou um veículo irregularmente, por sua conta e risco, nos trabalhos desta manhã.

Depois de constatar a veracidade dos fatos, a Prefeitura Municipal de Montenegro já providencia a notificação formal à empresa Alditur Transportes Ltda. O ato, coordenado pela SMEC, ocorre nas próximas horas. Serão aplicadas, juridicamente, as medidas previstas em contrato, após análise da Procuradoria Geral do Município.

O objeto contratado, referente ao transporte escolar, é ônibus a partir de 25 (vinte e cinco) lugares. Na última quinta-feira (07), inclusive, numa ação pró-ativa da Administração Municipal, foram realizadas vistorias em todos os veículos capacitados das empresas prestadoras do contrato vigente. Segundo a Secretária Municipal de Educação e Cultura, Rita Júlia Carneiro Fleck, “qualquer ação envolvendo outro tipo de veículo, que não o determinado em contrato, tem o repúdio desta Administração, haja vista que fatos como o ocorrido na manhã de hoje, culminou na exclusão de Kombis do contrato do transporte escolar, por ser um veículo vulnerável a esse tipo de situação” – destaca.

Ainda, a Secretária da pasta esclarece que “a contratação deste serviço se pauta conforme edital exigindo qualidade e segurança para os alunos. O que vier diferente do proposto, existem as sanções previstas em contrato, sanções estas que já estão sendo prontamente aplicadas” – conclui.”

 

Deixe seu comentário