Balneário Municipal de Montenegro está interditado e sem previsão de liberação para o próximo verão - Crédito: Paulo Behrens

Os principais pontos turísticos de Montenegro estão atualmente em condições precárias, principalmente no que diz respeito a acesso para os visitantes.

O morro São João está sem acesso de veículos ao topo faz mais de 7 anos, desde que num temporal ocorreu desmoronamento de parte da estrada. O Parque Centenário não tem nem luz atualmente, além dos dois ginásios interditados e banheiros sem condições de uso. No cais do Porto das Laranjeiras, junto a beira do rio, para do talude desmoronou e outros pontos ameaçam ceder.

A Prefeitura já encaminhou, junto ao Governo Federal, projeto para buscar recursos para a recuperação da estrada do morro e do cais do porto. Segundo o prefeito Kadu Müller, estão sendo providenciados os reparos na rede elétrica do Parque Centenário e a energia elétrica deve retornar ainda nesta semana. Também serão construídos novos banheiros e recuperados os ginásios de esporte.

Sem previsão de melhorias

Outro ponto turístico de Montenegro, que está totalmente abandonado, não tem nem perspectiva de recuperação. E é um dos locais que mais costumava ser utilizado pela comunidade, principalmente durante o verão. O Balneário Municipal Afonso Kunrath, mais conhecido como Baixio, está totalmente abandonado.

Ponte de acesso cedeu e também está interditada
Crédito: Paulo Behrens

A situação do Baixio piorou quando o único acesso ficou praticamente interditado desde o último dia 24 de setembro, quando a ponte sobre o arroio Montenegro, junto ao cais do porto, na frente do antigo frigorífico Renner, acabou cedendo num temporal. Com a ponte interditada para a passagem de veículos, somente a pé ou de bicicleta para ter acesso ao Balneário. E as poucas pessoas que se dirigem ao local encontram um cenário desolador. Nem a Guarda Municipal pode fazer ronda no local devido a falta de acesso. A própria estrada está em condições precárias. E na área do Baixio o abandono é total. Conforme Paulo Behrens, que esteve na última semana no local, indo de bicicleta, a situação é de vergonha. “Só esta palavra define o meu sentimento”, escreveu em sua página no facebook, anexando várias fotos onde mostra o total abandono.

Até fogo foi colocado em alguns locais
Crédito: Paulo Behrens

Paulo Behrens lembra os investimentos que já foram feitos no local e que poucas cidades contam com uma área aprazível como esta, na beira do rio, onde a comunidade poderia desfrutar de momentos de lazer e entretenimento. Por muitos anos o Baixio Novo (Baixio Velho era atrás da Tanac, onde tinha corrida de cavalos) funcionou plenamente, com restaurante, camping, campo de futebol, cancha de esportes, quiosques, churrasqueiras, escadas de concreto que descem até o rio, salva-vidas e toda uma ótima estrutura. Não só os montenegrinos, mas moradores de outras cidades vinham para acampar e viver momentos de lazer no Balneário. Hoje a situação é bem diferente.

Quiosques com churrasqueiras tinham sido construídos
Crédito: Paulo Behrens

Está tudo abandonado, com o patrimônio sendo depredado. Muito lixo, mato alto, vidros e estrutura quebrados ou até saqueados. Não tem água e nem luz. Até mesmo fogo foi colocado em alguns locais. E por questão de segurança o melhor é nem se dirigir ao Baixio, principalmente durante a noite. E o pior: não existe nenhuma previsão ou perspectiva de recuperação do local. O prefeito Kadu Müller lembrou que o rio está sem balneabilidade, devido ao alto índice de coliformes fecais. Por isso as águas no Baixio estão impróprias para banho, o que provocou a interdição do Balneário. “Não podemos correr o risco de alguém tomar banho lá. Sem ter segurança vai continuar interditado”, alerta o prefeito, lembrando que a Prefeitura colocou placas avisando da proibição de banho. No ano passado ainda tinha ecônomo e até guarda-vidas (salva-vidas), da Operação Golfinho. Só que eles deixaram o local após a interdição.

De acordo com a diretora de turismo do município, Michele Martins, não existe nenhuma previsão de melhorias no Balneário Municipal. Ela cita que a Prefeitura está aberta para propostas de interessados em assumir como ecônomos. Mas quem iria assumir o economato nesta situação, de abandono e interdição para banho? Enquanto isso, faltando um mês para o início do verão, ao que tudo indica os montenegrinos e a região não poderão utilizar o Balneário Municipal no próximo veraneio.

Deixe seu comentário