Local onde já funcionou o restaurante do Parque Centenário e hoje está a Biblioteca, assim como ginásios, poderão ser explorados pela iniciativa privada - Crédito: Guilherme Baptista/FN

Dois dos principais pontos turísticos de Montenegro podem ser explorados pela iniciativa privada para receber melhorias. É um processo semelhante ao das rodovias, que com a privatização recebem melhorias na pavimentação e serviços, melhorando a qualidade e a segurança, mas os motoristas passam a pagar pedágio. No caso da concessão de parques, numa parceria público-privada, quem fizer os investimentos  recebe em contrapartida valores de ingressos, locação e exploração de espaços.

Balneário Municipal (Baixio)

Balneário Municipal de Montenegro está interditado e abandonado
– Arquivo/FN

No Balneário Municipal Afonso Kunrath, mais conhecido como Baixio, que atualmente está interditado e abandonado, já existe um estudo para concessão. Seria um projeto semelhante ao das cascatas de Maratá, onde os ecônomos fizeram melhorias, mantém restaurantes, camping e guarda-vidas, mas cobram ingresso, estacionamento e locação de churrasqueiras. A Prefeitura ainda estuda qual o modelo para concessão. “Deverá ser uma concessão total da área”, afirma a secretária municipal de indústria, comércio e turismo, Cristiane Gehrke. Atualmente o Baixio está sem ecônomo, à área de banho está interditada por não ter balneabilidade e guarda-vidas e o local vem sendo depredado. Isso tudo teria que ser resolvido. A ponte de acesso, que está interditada perto da Escola da Brigada Militar (EsFES), está em obras com a construção de galerias. E a Prefeitura deverá ver a situação da balneabilidade através de coleta de água e análise de laboratório. “Acredito que o rio Caí tem balneabilidade. Pretendemos fazer a coleta em cinco pontos, de forma trimestral, para ver a qualidade da água”, diz o secretário Adriano Chagas. Através de recursos do Fundo do Meio Ambiente, a idéia é não só verificar a qualidade da água, mas também adquirir um barco para monitorar a mata ciliar, da vegetação ao longo das margens do rio. Com os investimentos, talvez na próxima temporada de verão o Balneário já volte a estar à disposição da comunidade.

Parque Centenário

Parque Centenário recebe grande movimento, mas atualmente não tem restaurante e nem lancheria
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

Conforme a secretária Cristiane Gehrke, o modelo de concessão do Parque Centenário seria diferente. “Estamos vendo os projetos de outros municípios”, diz, citando os parques de Porto Alegre, Farroupilha e Nova Petrópolis.

No Centenário a concessão poderia ser feita em algumas partes do parque, as quais poderiam ser exploradas pela iniciativa privada. Seria o caso do restaurante, no mesmo local onde já funcionou anteriormente e hoje está a Biblioteca Pública. Assim que a Biblioteca voltar para o Centro Cultural, no centro, onde a reforma foi concluída, mas faltam ajustes no Plano de prevenção e proteção contra incêndios (PPCI), o local deverá voltar a ser concedido para instalação de um restaurante. Outros pontos poderiam ser concedidos para a venda de lanches e bebidas, o que hoje não existe no parque. E ainda os dois ginásios de esporte, que atualmente estão fechados. O ginásio Domingos dos Santos (Domingão) está em reforma e o Normélio Petry (Azulão) depende de liberação do PPCI. Os dois ginásios, assim que estiverem liberados, podem ter suas quadras locadas.

A área de rodeios, que hoje está em condições precárias e sem uso, é outro espaço que pode ser explorado, inclusive através de parceria com as entidades tradicionalistas. No local podem voltar a ocorrer rodeios e festas campeiras. Foram construídos novos banheiros, que ainda não foram abertos. E são necessárias melhorias. Junto do espaço para gineteadas, o telhado de um dos dois galpões desabou.

Como o Parque Centenário dispõe de espaços para a prática de esportes, além de pracinhas para as crianças, muito usados pela comunidade. E a Prefeitura inclusive já anunciou investimentos na pista para corridas e caminhadas, além de locais para patins, rollers, skate e pista multiuso, a entrada no local deve continuar sendo gratuita. Entretanto, em eventos, como já ocorreram nas festas municipais, poderá ser cobrado ingresso.

Tudo ainda está em estudo. O certo é que a Prefeitura analisa a possibilidade das concessões para que tanto o Baixio, como o Balneário, voltem a oferecer boas condições para serem aproveitados pela comunidade.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here