Última sessão do ano na Câmara de Montenegro aconteceu na noite de ontem com boa participação - Crédito: ACOM/Câmara

A última sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Montenegro, realizada na noite de ontem, quinta-feira, dia 19, teve uma boa participação. A maioria dos presentes eram moradores de ruas que serão pavimentadas através de um financiamento aprovado ontem pelos vereadores. Foi aprovado um financiamento de R$ R$ 7 milhões e 156 mil para pavimentação de onze ruas. Entre as ruas beneficiadas estão: Estrada Selma Wallauer (Faxinal), Rua Piauí (Santa Rita), Sítio Figueira – Rua 1 (Senai), Rua dos Carvalhos (Senai), Rua dos Eucaliptos (Senai), Rua dos Mimos de Vênus (Senai), Rua dos Salgueiros (Senai), Rua Leopoldo Gemmer (Progresso), Rua Otaviano Moojen (Industrial), Sítio Mariana – Rua 1 (Senai), Rua dos Imigrantes (Santa Rita e Senai). Ainda dentro do processo na composição de investimento e melhorias consta pavimentação nova, microdrenagem, sinalização viária, calçadas com acessibilidade. Conforme a Prefeitura, o financiamento será contraído através do Programa Pró-Transporte do Avançar Cidades – Mobilidade Urbana junto a Caixa Econômica Federal, podendo ser pago em 240 meses de R$ 88 mil, começando a pagar as parcelas somente em 2024.  A carência é de 48 meses para iniciar os pagamentos, com taxa de juros de 6% ao ano.

Também estavam presentes na sessão familiares do empresário Tadeu José Weis Fernandes. Através de projeto do vereador Cristiano Braatz, foi aprovada a denominação de uma Rua do Loteamento Porto Bello, no Porto dos Pereiras, com o nome de Tadeu Fernandes.

Pedido de cassação não foi votado

Sobre o pedido de cassação do vereador Erico Velten (PDT), que deu entrada ontem pela manhã na Câmara, a solicitação não chegou a ser votada ontem. O advogado Jorge Fernandes Filho protocolou o pedido de cassação do mandato do vereador Erico com base no processo de assédio sexual e concussão, denunciados por uma ex-assessora em setembro do ano passado. O inquérito já foi concluído pela Polícia Civil e foi encaminhado para a Justiça.

O advogado Jorge Fernandes Filho alegou que conforme decreto-lei 201/67, qualquer eleitor do município pode pedir afastamento do prefeito ou vereador em caso de crime de responsabilidade. Em Montenegro, inclusive, já ocorreram dois impeachments de prefeitos. Com base no parecer jurídico da Câmara, o presidente do Legislativo encaminhou o pedido para análise do Conselho de Ética da Câmara. Por isso a solicitação não chegou a ser votada ontem.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here