Quatro vereadores pediram para a secretária de educação suspender o transporte escolar do município - Guilherme Baptista/FN

Uma comitiva de quatro vereadores esteve no início da tarde de hoje, terça-feira, por volta de 14h, na Secretaria Municipal de Educação e Cultura (SMEC). Os vereadores Felipe Kinn (MDB), Juarez Silva (PTB), Valdecir de Castro (PSB) e Neri de Melo Pena, o “Cabelo” (PTB) entregaram um ofício solicitando com “urgência” a paralisação do transporte escolar contratado pela Prefeitura de Montenegro. Segundo os vereadores, o motivo seria os diversos fatos e denúncias, entre as quais veículos circulando sem vistoria, sem permissão de circulação, em situação precária, sem total segurança, inclusive sem freios e com falhas mecânicas. Os vereadores explicaram que o pedido visava evitar qualquer situação de risco para a integridade física das crianças que utilizam os veículos do transporte escolar do município, já que a empresa responsável não estaria cumprindo com as normas contratuais.

No primeiro dia de chuva do ano letivo dois ônibus do transporte escolar atolaram. Em razão das denúncias de que os veículos que teriam sido vistoriados não eram os mesmos que estavam transportando os alunos, na quinta-feira passada a Prefeitura realizou uma vistoria, no Parque Centenário, em vinte ônibus que seriam das empresas responsáveis. Mesmo assim os problemas continuaram. Na última segunda-feira caiu a porta de uma Kombi quando fazia o transporte de alunos entre as localidades de Alframa e Santos Reis. A secretária de educação confirmou a irregularidade, já que Rita Carneiro Fleck lembrou que não podem ser usadas Kombis e Vans, apenas veículos com mais de 25 lugares. Na tarde da mesma segunda-feira pais denunciaram que um micro-ônibus estaria com os pneus carecas e sem cintos de segurança. A Prefeitura informou que novamente notificou a empresa. Mas mesmo assim as denúncias continuaram.

Hoje pela manhã um micro-ônibus do transporte escolar teria estragado no Passo da Serra
– Reprodução/FN

De acordo com o vereador Valdecir, no início da manhã de hoje um micro-ônibus apagou em cima da ponte da localidade de Passo da Serra. Além disso, o vereador disse que o veículo estava sem freio. Um veículo reserva, mas segundo o vereador o motorista não conseguia abrir a porta. Um terceiro veículo foi chamado, mas conforme Valdecir também apresentava problemas. Com isso, os alunos, ao invés das 7h30, quando começa a aula, só chegaram à escola por volta de 9h10. Já o vereador Felipe declarou que Vans, que não passaram na vistoria, estariam sendo utilizadas no transporte escolar. Juarez citou a dificuldade dos ônibus grandes em manobrar nas estradas do interior. “Nada está sendo cumprido”, protestou o vereador Cabelo. A secretária Rita afirmou que a responsabilidade é da empresa. “Quem está irregular é a empresa. Agora tem as sanções, podendo chegar a suspensão do serviço. O problema é a desonestidade das pessoas”, lamentou. “Vão ser punidas, perder o contrato. E vão responder por isso”, completou a secretária, dizendo que uma equipe da Prefeitura está fiscalizando os veículos. Junto com o protocolo, os vereadores entregaram na SMEC fotos dos flagrantes de irregularidades nos ônibus do transporte escolar.

O secretário municipal de administração, Edar Borges Machado, destacou a importância de o legislativo auxiliar na fiscalização. “A responsabilidade é da empresa, que não está cumprindo o contrato. Fizemos vistoria em todos os veículos. Estamos tomando as providências, não descartando o cancelamento do contrato”, concluiu.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here