Prefeitura contratou empresa ao custo mensal de R$ 23.694,98 - Crédito: Guilherme Baptista/FN

A ampliação do sistema de videomonitoramento está sendo bastante discutida em Montenegro. Foi o principal assunto em debate na sessão da Câmara de Vereadores da última quinta-feira.

Montenegro conta atualmente com 7 câmeras no sistema de videomonitoramento das ruas da cidade, mas apenas quatro estão funcionando. Duas filmadoras estariam fora de operação faz mais de sessenta dias. A dificuldade de manutenção e a necessidade de ampliação do sistema estão entre as justificativas para a Prefeitura contratar um novo serviço. Só que surgiram questionamentos, principalmente de vereadores, sobre o fato dos equipamentos serem alugados, ao custo de R$ 23.694,98. O serviço será executado pela empresa Digitaltec Comércio e Prestação de Serviços, de Novo Hamburgo, que já tem doze anos de atuação no mercado e é responsável pelo cercamento eletrônico em várias cidades.

Rafael Riffel, Ronaldo Buss e Angelo Daudt falaram na Rádio América sobre a ampliação do videomonitoramento em Montenegro
– Crédito: Guilherme Baptista/FN

Conforme a Prefeitura, além dos locais já monitorados, Montenegro terá seis pontos novos, ampliando o sistema de videomonitoramento no município, já que pulará de 7 para 16 câmeras em funcionamento. E todas de alta tecnologia, sendo monitoradas pela central de videomonitoramento do 5º BPM da Brigada Militar. De acordo com o diretor de informática da Prefeitura, Angelo Daudt, o serviço garantirá também a manutenção, com os equipamentos sendo imediatamente substituídos em caso de qualquer problema. Diz que o contrato é de dois anos, podendo ser renovado. E garante que depois os equipamentos vão ficar para o município. “A empresa vai fornecer as câmeras, software e todos os materiais necessários. E ficará encarregada da substituição em caso de defeito”, explica o chefe de gabinete da Prefeitura, Rafael Riffel.

O secretário municipal de obras do município, coronel Ronaldo Buss, cita que foi verificado o videomonitoramento em cidades como Lajeado, Bento Gonçalves e Porto Alegre, que utilizam o mesmo sistema. “É uma discussão de vinte anos. Temos que avançar”, entende, com a experiência de quem já atuou no comando da Brigada Militar do Vale do Caí, Serra e em outras regiões. “A decisão já está tomada. Temos que agilizar o processo”, completa, em entrevista na Rádio América, sobre a assinatura do contrato com a empresa que será a responsável pelo videomonitoramento. A expectativa da Prefeitura é de que o novo sistema esteja operando em no máximo 90 dias.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here