Ladrões derrubaram o transformador de uma altura de 5 metros e desligaram a luz para não levar choque - Crédito: Corsan

Depois de dois furtos do transformador junto da estação de tratamento (ETA 2), situada perto da antiga fábrica da Antarctica, causando falta de água na maior parte da cidade justamente em dias de maior calor, a Corsan está adotando medidas de segurança para tentar evitar novos casos. Conforme o gerente Lutero Fracasso, já foi contratada uma empresa para colocar grades onde está o transformador que foi alvo dos ladrões, perto dos motores que puxam a água do rio Caí. “Está sendo feito um gradeamento com material mais reforçado. Vai dificultar o acesso”, acredita. Além disso, Lutero diz que foi encaminhada a contratação de uma empresa de vigilância, através de contrato emergencial. E também foi solicitado um maior apoio da Brigada Militar, através de patrulhamento nas proximidades.

Transformador foi desmanchado duas vezes para o furto de cobre
– Crédito: Corsan

Lutero lembra que a estação de tratamento tem guarda, mas os furtos ocorreram na beira do rio, onde estão os motores que puxam água e o transformador. Fracasso se surpreende com a ação dos ladrões. “Eles subiram numa plataforma de 5 metros de altura e derrubaram o transformador”, diz. “Antes desligaram a luz para não ser eletrocutados e quebraram a grade”, completa, citando que os furtos foram praticados por ladrões que sabiam como desligar o equipamento. Portanto, é gente que conhece de eletricidade e sabia bem o que estava fazendo, tendo equipamento para desarmar o sistema. A Brigada Militar chegou a fazer buscas nas proximidades, mas os ladrões e o material furtado não foram mais localizados. A Polícia Civil também está investigando para tentar chegar tanto aos ladrões como aos receptadores que estão comprando o cobre furtado. Qualquer denúncia, mesmo de maneira anônima, pode ser passada para os telefones 190 da Brigada ou 197 da Polícia Civil.

Por ser um local mais isolado, junto ao motor que puxa a água do rio, os ladrões têm aproveitado para efetuar o furto de cobre do transformador e dos cabos. Isso ocorreu nos dias 4 e 13 de janeiro, deixando quase toda a cidade sem água. Só o centro, por ser abastecido pela ETA 1, da rua Apolinário de Moraes, não foi atingido. A falta de água, que além dos furtos também tem sido causada pelos constantes rompimentos na rede da Corsan, tem gerado indignação da população. Ficar um dia inteiro sem água neste período de intenso calor causa muito transtorno. Devido as inúmeras reclamações, o vereador Talis Ferreira marcou uma reunião com o gerente da Corsan, Lutero Fracasso, que será amanhã, sexta-feira, às 10h, na Câmara de Vereadores. “Queremos saber mais sobre as medidas que serão tomadas para evitar essa constante falta de água na cidade”, afirma Talis, que convidou os demais vereadores para o encontro.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here