Projeto foi mostrado pela direção da EGR, mas não foi entregue para a Prefeitura, que pagou R$ 200 mil - Prefeitura/ACOM

No último dia 19 de agosto, foi divulgado no facebook da Prefeitura de Montenegro que o documento, que se refere ao projeto de reestruturação da RSC 287, tinha sido entregue pelo diretor-presidente da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), Urbano Schmitt, para o prefeito Kadu Müller. “Em reunião na EGR, Prefeito Kadu recebe o projeto para a RSC 287”, era o título da notícia. O Fato Novo deu destaque para a entrega do projeto, confirmado pela assessoria de imprensa da EGR. A reunião também teve a presença do chefe de gabinete da Prefeitura, Rafael Riffel, do secretário municipal de Obras Públicas, Ronaldo Buss, do vereador Joel Kerber, do chefe de gabinete do deputado federal Pedro Westphalen, Rogério Reis dos Santos, e do Assessor de Comunicação do Deputado Estadual Issur Koch, Mário Selbach.

Para saber como é o projeto, o presidente da União Montenegrina de Associações Comunitárias (UMAC), Airton Quadros, marcou uma reunião com o prefeito e convidou lideranças dos bairros diretamente interessados nas melhorias na RSC 287, como Santo Antônio, Panorama, Faxinal, Rui Barbosa e Cinco de Maio. O encontro foi marcado para a última segunda-feira, dia 2. Mas a reunião não aconteceu, tendo sido suspensa pela Prefeitura. O motivo: na verdade, o projeto da RSC 287 não foi entregue pela EGR para a Prefeitura.

Conforme o chefe de gabinete da Prefeitura, Rafael Riffel, a reunião na EGR foi para apresentar o projeto. “Ainda não disponibilizaram ao município uma cópia. Já solicitamos novamente via e-mail, mas ainda não temos o retorno da data da entrega”, afirmou. Rafael diz que foram enviados vários e-mails com solicitação da cópia, pois como a EGR deixou claro que não dispõe de recursos para as obra, o município pretende fazer articulações para buscar recursos federais. “Temos o maior interesse em ter o projeto em mãos para poder ir atrás de recursos”, declara.

Prefeitura pagou R$ 200 mil

Em 5 de dezembro de 2017 foi assinado um convênio, na Câmara de Vereadores de Montenegro, quando a EGR assumiu o trecho de 7,1 quilômetros da RSC 287 do perímetro urbano do município, que vai desde o cruzamento com a BR 470 (Trevo do Shell) até a ERS 411 (Trevo do Frigonal). O projeto visa à construção de novas rótulas no cruzamento da RSC 287, no cruzamento com as ruas Ramiro Barcelos (Trevo do Ipiranga), Coronel Antônio Inácio (Trevo da Renauto) e Juvenal Alves de Oliveira (entrada da vila Esperança). O pacote de medidas prevê, ainda, a remodelação de três trevos: ERS-240 com rua Intendente Augusto Jaeger Filho e a estrada Reinaldo Hörlle; ERS-240 com BR-470 e Buarque de Macedo; e RSC-287 com ERS-411. Quando da assinatura do convênio, a expectativa era de que os recursos para as obras viriam do pedágio de Portão, mas até agora isso não ocorreu.

A Prefeitura de Montenegro investiu 200 mil reais na elaboração do projeto. A EGR ficou de arcar com a outra metade do valor e contratou uma empresa para elaborar o projeto. “Recebemos o projeto, mas a definição das obras ainda não”, declarou o prefeito Kadu, em 19 de agosto, para a reportagem do Fato Novo. Mas na verdade, ele só teria visto parte do projeto, que é muito extenso. Não recebeu nem cópia.

Kadu diz que todas as obras que constam no projeto somam mais de 20 milhões de reais. E a EGR e o Estado informaram que não dispõe destes recursos. A EGR sequer tem realizado obras de manutenção do trecho. Recentemente foi à própria Prefeitura quem realizou melhorias nas vias laterais da RSC 287, que estava bastante esburacada junto aos trevos do Ipiranga e Renauto, na altura do bairro Santo Antônio. A EGR chegou a anunciar a recuperação do asfalto da rodovia, inclusive com a colocação de outdoors divulgando o investimento de R$ 1,5 milhão no prazo de seis meses, mas passados mais de dois meses nada foi feito.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here