Delegada Sandra confirmou prisão e que acusado informou sobre arma usada no crime - Reprodução/FN

A Polícia Civil confirmou que o indivíduo investigado pelo duplo homicídio do empresário montenegrino Nelson Joel de Oliveira Ferreira, de 61 anos, e seu filho Anderson Guedes Ferreira, de 36 anos, se apresentou ontem, sexta-feira, 1º de julho, na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Novo Hamburgo, como foi noticiado pelo Fato Novo. Segundo a delegada Sandra Mara Guaglianoni Neto, que responde pela Delegacia de triunfo, o acusado prestou depoimento, assistido por advogados, bem como informou a arma possivelmente utilizada para desferir os tiros contra as vítimas. Entretanto, a arma ainda não foi localizada. O conteúdo do depoimento não foi informado pela Polícia, mas o acusado confessou a autoria do crime.

Após o depoimento, o autor dos disparos, que não teve o nome informado, foi encaminhado ao sistema prisional, pois já estava com prisão preventiva decretada pela Justiça. A delegada informou que ainda aguarda os laudos que serão disponibilizados pela perícia. “O inquérito policial segue em curso até a conclusão das diligências remanescentes”, afirmou. Também já foram ouvidas testemunhas e analisadas as imagens disponibilizadas pela empresa da vítima. Os laudos do Instituto Geral de Perícias (IGP) e das necropsias do Instituto Médico Legal (IML) devem confirmar quanto aos disparos, que seriam de quatro em cada vítima. Uma parte da tornozeleira eletrônica, que o acusado usava e rompeu, acabou sendo encontrada.

A mulher do acusado também já prestou depoimento. Conforme a delegada, ela confirmou que tinha ocorrido um desentendimento dela com o empresário, por ela ter entregue uma garrafa de leite solicitada pela esposa de Joel. Contou que ele teria sido ríspido na frente de funcionários da empresa e foi para casa conversar com o acusado. Esse teria ido conversar com Joel, ocorrendo numa discussão e então pegou uma arma no carro com a qual efetuou os disparos.

Natural de Palmeira das Missões, o acusado, de 39 anos, que residiu em Novo Hamburgo, onde têm familiares, ultimamente morava com a família numa casa de propriedade do empresário Joel, junto da empresa em que ocorreu o homicídio no início da noite da última terça-feira, 28 de junho, próximo ao Polo Petroquímico de Triunfo. Ele já tinha vários antecedentes criminais, incluindo homicídio, roubo a estabelecimento comercial, ameaça, difamação, dano, estupro e lesão corporal. De acordo com a delegada, com base em depoimentos, ele e Joel mantinham uma boa relação e teriam se conhecido no Presídio de Montenegro quando o empresário cumpriu pena pela morte de outro funcionário, ocorrida em 1995 em Montenegro. Em razão da amizade, quando Joel deixou o presídio convidou o acusado para trabalhar com ele como cozinheiro na empresa e lhe cedeu uma moradia nos fundos da locadora. Depois do regime fechado, o acusado passou para o regime semi-aberto e progrediu para a prisão domiciliar, proporcionando que ficasse fora da cadeia, sendo monitorando por tornozeleira eletrônica.

O empresário montenegrino Joel da Locadora, de 61 anos, e seu filho Anderson Ferreira, de 36 anos, foram assassinados na empresa da família por um indivíduo que trabalhava como cozinheiro e que foi preso ontem em Novo Hamburgo
– Reprodução/FN

Causa foi ordenha de vaca

Pelo que apurou a Polícia, o crime ocorrido pouco antes das 18h teve um motivo fútil, após uma discussão relacionada à ordenha de uma vaca do empresário. Joel não teria gostado quando soube que tinha sido retirado o leite e reclamou para a esposa do acusado. Ela se sentiu ofendida e falou com o marido em casa. Em seguida o acusado se dirigiu até a empresa Táxi Reis Auto Locadora Anderson, de propriedade de Joel e que fica junto da propriedade, perto do Polo Petroquímico de Triunfo. O empresário e o cozinheiro teriam tido uma forte discussão. Anderson teria tentado acalmar a situação, quando o acusado foi num carro, pegou um revólver e começou a efetuar os disparos. Anderson foi atingido e acabou sendo baleado no refeitório. Joel também foi baleado e mesmo gravemente ferido tentou dirigir um carro para levar o filho ao hospital. Mas funcionários o socorreram e o colocaram em outro veículo. Levados ao Hospital Unimed, a equipe médica ainda tentou fazer o processo de reanimação, mas ambos já se encontravam em óbito.

Além de empresa de locação de veículos, Joel era proprietário de vários empreendimentos e imóveis na cidade, sendo também muito ligado ao esporte e outras atividades. Anderson o ajudava na administração dos negócios da família, juntamente com outro irmão e esposa do empresário. Ambos eram muito conhecidos e estimados. Por isso suas mortes estão causando grande comoção na comunidade. Joel era elogiado pelos funcionários da empresa. Conforme informações, mantinha uma boa relação com o próprio acusado. Inclusive circula nas redes sociais uma postagem do suspeito, na virada do ano, elogiando seu patrão e família, que lhe estenderam a mão na hora que mais precisava, pedindo a Deus para abençoar suas vidas.

A despedida de Joel e Anderson ocorreu na última quinta-feira pela manhã, com grande número de pessoas no velório na Funerária Vargas e nos sepultamentos no Cemitério de Montenegro.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here