Crédito: Tiago Bald/Emater

Uma palestra realizada no Parque Municipal de Harmonia, no último dia 4, teve como pauta principal a rastreabilidade de produtos vegetais frescos. Na ocasião, a extensionista da Emater/RS-Ascar Anna Xavier apresentou a cerca de 40 agricultores os detalhes da Instrução Normativa Conjunta nº 2, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que estabelece a obrigatoriedade de que frutas e hortaliças forneçam informações padronizadas que identifiquem o produtor nas embalagens, caixas, sacarias e outras.

A normativa entrou em vigor em 2019 e permite saber o endereço completo da origem do produto, a variedade ou cultivar, a quantidade, o lote e a data de colheita, entre outras, por meio de etiquetas impressas com códigos de barras, caracteres alfanuméricos ou QR codes. “Trata-se de um procedimento já bastante usual em países como Estados Unidos, da Europa e da Ásia e que, no Brasil, já é aplicado desde 2014 em algumas regiões”, relatou Anna.

A palestrante também destacou a importância da adoção do caderno de campo como uma ferramenta que dá segurança para o produtor, em relação aos procedimentos que ele tem adotado – manejos, cuidados, aplicações de produtos e com quais finalidades – em seus cultivos. A atividade contou com apoio da prefeitura, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Sicredi.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here