Crédito: Anderson Machado/C5 NewsPress

Dar destinação correta aos dejetos de animais, especialmente de suínos e bovinos, é o objetivo das lagoas para armazenamento de biofertilizantes. Com baixo custo e diversos benefícios, elas estão cada vez mais presentes em propriedades rurais harmonienses, uma vez que a prefeitura auxilia, gratuitamente, nas construções.

Conforme dados da administração, somente nesse ano, já foram feitas sete lagoas no Município. A prefeitura cede máquinas e operários, enquanto os produtores ficam encarregados de revestir com geomembrana pead 0,8mm impermeabilizante – um tipo de lona que impede que o líquido contamine o lençol freático – e cercá-las.

Além de tratar o material orgânico e proteger o meio ambiente, a estrutura garante uma destinação economicamente inteligente aos dejetos, que são usados como fertilizante nas plantações de milho, pastagens e pomares cítricos. A iniciativa também soluciona um antigo problema no campo, que é a impossibilidade da fertilização por máquinas em períodos chuvosos, pois os tratores e caminhões não conseguem entrar nas lavouras e pomares, já que na maioria das vezes ficam atolados.

“Este modelo facilita a aplicação do dejeto suíno, além de possibilitar um material estabilizado e próximo aos pomares e lavouras, diminuindo assim os custos de transporte e, ao mesmo tempo, ter locais de armazenamento a mais para os produtores integrados, visto que em épocas de chuva, o solo não absorve suficientemente a quantidade de dejetos aplicados”, explica o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Renê Moscon. O Município licencia as estruturas para que estejam em conformidade com a legislação ambiental.

Além do uso, o Município subsidia dois reais por suíno alojado no sistema de integração e um real por leitão no sistema de creche. Os valores devem ser utilizados justamente para o custeio do transporte e destinação correta dos dejetos.

Somando as sete lagoas, a capacidade de armazenamento ultrapassa dois milhões de litros. Ali, o esterco passa por um processo de fermentação de no mínimo quatro meses. Somente após esse período, o material pode ser usado como fertilizante na agricultura.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here