Jean Lucas Martins, de 28 anos,, morava em Harmonia e morreu após acidente domingo entre sua moto e um carro - Reprodução/FN

A despedida de Jean Lucas Martins, de 28 anos, está acontecendo nesta quarta-feira, dia 12, em Campo Bom. O rapaz, que morreu após sofrer acidente no último domingo no trevo perto das pontes estreitas do Matiel, em Pareci Novo, próximo da divisa com Harmonia e São Sebastião do Caí, estava internado no Pronto Socorro de Canoas, onde faleceu na noite de segunda-feira. Ele morava em Harmonia faz cerca de 7 anos e trabalhava na Móveis Kappesberg de Tupandi.

O velório iniciou hoje pela manhã em Campo Bom, terra natal de Jean Lucas. A cerimônia de despedida está marcada para 15h30, seguida de sepultamento no Cemitério Municipal de Campo Bom. Além dos familiares, vários colegas e amigos de Harmonia, Tupandi e da região estão prestando as últimas homenagens ao rapaz.

A família decidiu doar todos os órgãos de Jean, o que poderá salvar a vida de oito pessoas. “Ele era muito bom e iria gostar disso”, diz a irmã Julia, bastante consternada durante o início do velório em Campo Bom.

A família também colocou uma cruz no local do acidente, junto ao trevo. O cruzamento é considerado bastante perigoso devido à falta de sinalização. No local já ocorreram vários acidentes e agora essa tragédia. O Daer, que é o responsável pelo trecho da ERS 124, prometeu providências, mas depende da licitação de um novo contrato de sinalização para a área de abrangência da Superintendência Regional de Esteio para a contratação de uma empresa para fazer o serviço. O prefeito de Pareci Novo, Alexandre Barth, defende uma união entre os municípios, juntamente com São Sebastião do Caí e Harmonia, para a realização das melhorias necessárias, garantindo mais segurança. “Lamentavelmente meu irmão teve que morrer para fazerem alguma coisa”, lamenta Julia. A família e amigos pretendem organizar uma manifestação no local do acidente, servindo como homenagem para Jean Lucas e tamb’m como protesto em defesa da segurança no trevo.

O acidente

Familiares e amigos de Jean pretendem organizar homenagem e manifestação no local do acidente
– Crédito: Bombeiros do Caí

Na tarde de domingo, em torno de 16h50, Jean trafegava pela ERS 124 numa moto Yamaha no sentido Harmonia/Caí. Ele iria se reunir com amigos no Caí. Ao passar pelo cruzamento, pouco antes das pontes, ocorreu a colisão com um automóvel Vectra, com placas de Montenegro, que atravessava a pista para acessar em direção ao Pareci. Após o impacto, Jean foi arremessado a uma distância de cerca de seis metros e sofreu graves ferimentos, como fratura exposta na perna e lesões no rosto e cabeça. Já a condutora do automóvel, de 72 anos, não teve ferimentos, mas ficou bastante abalada, lamentando o ocorrido.

Jean foi socorrido pelos Bombeiros Voluntários Caienses e encaminhado para o Hospital Sagrada Família, do Caí. Devido à gravidade, principalmente decorrente de um traumatismo craniano, ele foi removido para o Pronto Socorro de Canoas. Mas já estava inconsciente e chegou ao HPS em coma. Mesmo assim os familiares e amigos tinham esperança da sua recuperação e se formou uma grande corrente de orações. Entretanto, foi diagnosticada a sua morte cerebral. E em torno de 21h de segunda-feira um novo diagnóstico confirmou oficialmente o seu falecimento.

A revolta da mãe

Muito estimado, Jean Lucas tinha muitos amigos. Filho do casal de comerciantes Isabela e Jonas Martins, proprietários da Lancheria e Mercearia D’Martins no Morro Santo Antônio, o rapaz morava em Harmonia faz cerca de 7 anos, época que também começou a trabalhar na Móveis Kappesberg, de Tupandi. A irmã, Júlia, também trabalha na Kappesberg. A família veio de Campo Bom e também morou por cerca de 15 anos em Tramandaí.  “Ele era um menino muito trabalhador e carinhoso. Cheio de energia e apaixonado pela vida”, lembra a mãe Isabela, muito consternada.

Além dos familiares e a namorada, Jean deixou um incontável número de amigos. “Ele era muito querido por todos”, diz a mãe, que garantiu que a morte do filho não será em vão.  “Vou acionar o Daer ou quem for o responsável por aquele trevo”, completa, revoltada com a falta de sinalização no local em que já ocorreram vários acidentes e agora ocorreu essa tragédia.

Após ser feita a repavimentação do trecho, tapando os buracos com novo asfalto, faltou a sinalização. No local existe uma curva, dificultando a visualização para quem vai ingressar no sentido Caí/Pareci. E a falta de sinalização deixa o local bastante confuso.  Por isso a mãe de Jean não coloca a culpa na motorista do carro. “Sempre que passávamos ali temia que algo de grave pudesse acontecer. E aconteceu. Agora só nos resta lutar para que outras pessoas não passem pela mesma dor que estamos passando”, concluiu Isabela, em lágrimas, agradecendo o apoio de todos neste momento tão difícil

A Polícia Rodoviária Estadual e a Brigada Militar estiveram no local. A Polícia Civil vai apurar as circunstâncias do acidente.

1 COMENTÁRIO

  1. Era meu filho quero deixar claro que a senhora aí mentiu a idade ela na verdade tem 63 e ela não atravessava ela cortou a frente de meu filho o que veio a causar a morte de meu filho!!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here