Descarte irregular de materiais também causa transtornos (Crédito: Anderson Machado/C5 NewsPress)

Embora o serviço de coleta seletiva de lixo tenha prosseguimento em Harmonia, a administração municipal pede que a comunidade reforce a atenção na separação dos resíduos, uma vez que a Central de Triagem que atende o Município está, temporariamente, parada. Isso em razão de decreto de calamidade pública, na área onde está estabelecida a empresa, por conta do novo coronavírus.

“A Junges Soluções continua atendendo Harmonia, mas sem capacidade de reforçar a separação em sua base. Por isso, é preciso que os harmonienses evitem ao máximo misturar lixo orgânico com materiais recicláveis e façam o descarte correto”, ressalta o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Leozildo Rodrigues Lira.

O secretário ainda lamenta a falta de colaboração de alguns moradores na manutenção da limpeza da cidade. Na última terça-feira, foram registrados descartes irregulares de lixo em pelo menos dois pontos. “Encontramos colchões, restos de roupeiros, cama, cadeiras. Este tipo de material é coletado no Bota Fora, que ocorre na terceira quinta-feira do mês, sendo que o último foi justamente na semana passada (19)”, afirma.

Conforme lei municipal, o descarte irregular de lixo pode ocasionar advertência e multa, que atualmente varia de R$ 85,04 até mais de R$ 42 mil, conforme a gravidade da infração, e mais R$ 850,40 por dia em que persistir o problema.

Atualmente, na zona urbana de Harmonia, a coleta de lixo orgânico ocorre nas segundas e sextas-feiras Os resíduos secos são recolhidos às quartas-feiras.

No interior, as localidades de Nova Santa Cruz, Morro do Cedro, Vila Floresta e Linha Lerner são atendidas na primeira e na terceira quarta-feira do mês. Já as comunidades de Morro Peixoto, Morro Santo Antônio, Vila Rica, Morro Azul, São Benedito e Saudades contam com o serviço na segunda e na quarta quarta-feira do mês.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here