Prédio foi condenado em 2013 e quatro anos depois um incêndio (foto) destruiu o último módulo, com os estudantes passando a ocupar o porão do salão paroquial - Crédito: Arquivo

Acompanhados de lideranças de Capela de Santana, os deputados estaduais Issur Koch e Adolfo Brito, do PP, estiveram reunidos na última quinta-feira com a secretária estadual da Educação, Raquel Teixeira. No encontro, os parlamentares enfatizaram a necessidade de uma solução para a reconstrução do Instituto Estadual de Educação Manoel Almeida Ramos.

Reunião com a secretária estadual de educação buscou recursos para a construção de novo prédio
– Reprodução/FN

Uma das principais escolas da Capela e da região está sem prédio faz oito anos. “Crianças e adolescentes estão alojados há anos de forma provisória, no porão do Salão Paroquial. Esta situação depõe contra a Educação do Rio Grande do Sul e requer uma ação imediata por parte do governo do Estado para solucioná-la”, disse Issur. “É preciso a construção de um novo prédio, com a aprovação de recursos de forma imediata de recursos para complementar essa obra o mais breve possível”, completa.

 

HISTÓRICO
A ordem para reconstruir a escola foi assinada ainda no governo Sartori. Desde então, os capelenses aguardam a prometida obra. “Tanto a Administração Municipal como a Câmara de Vereadores têm feito desta uma prioridade. Estamos ao lado da comunidade nesta luta”, definiu Issur.

O Instituto enfrenta um histórico de dificuldades há décadas. Depois do prédio ser condenado em 2013, o Estado optou por sua demolição, e o único módulo que restou foi destruído por um incêndio em 2016. Anteriormente, na década de 1970, a escola também sofreu com um incêndio. Após ter ocupado o Centro de Treinamento da Mecanização da Lavoura da Escola Estadual de Educação Profissional Visconde de São Leopoldo, por um ano e meio, em condições muito precárias, a escola foi provisoriamente instalada na parte inferior do salão paroquial da comunidade católica de Capela de Santana, perto da igreja Matriz. Atualmente, mais de 430 estudantes dos Ensinos Médio e Fundamental estudam de forma precária.

No mês passado o deputado Airton Lima PL), presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa, além da situação precária em que os alunos estudam, citou que o contrato de aluguel com a comunidade católica está vencido. O custo mensal é de cerca de 8 mil reais e o contrato está vencido desde junho. Isso só para a parte inferior. Para o deputado Issur, seria importante ampliar o valor e incluir também o primeiro piso para os alunos terem um espaço coberto para a educação física e outras atividades nos dias de chuva.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here