A diretora Adriana Schvade Seibel garantiu que não houve nenhum desvio de verba no hospital - Reprodução/FN

A CPI instalada na Câmara de Vereadores de Bom Princípio, referente ao contrato de gestão entre município e Hospital São Pedro Canísio, teve na manhã de ontem, terça-feira, dia 7, a 18ª reunião, com transmissão ao vivo e que está gravada no facebook da Câmara. Na ocasião foi tomado o depoimento da diretora-administrativa do hospital. A ex-primeira dama e advogada Adriana Schvade Seibel respondeu as perguntas dos três vereadores integrantes da CPI, Beatriz Inês Bohn (Progressista), Fábio Juwer (MDB) e Renato José Krewer (PSDB).

Em depoimento que durou cerca de 1h20min, Adriana falou inicialmente dos gastos com testes de covid, com repasse de 100 mil reais, alegando que não constavam no contrato de gestão com o município. Lembrou que além de Bom Princípio, o hospital possui convênio com os municípios de São Vendelino e Tupandi, dos quais recebe verbas que complementam os repasses do SUS. Explicou que o hospital não recebe valores sem prestar contas e que atingiu todas as metas. Garantiu que o hospital está em dia com suas contas, sem nenhum débito pendente. Estranhou as questões relativas ao município de São Vendelino, alegando que o objetivo da CPI é apurar sobre o contrato com Bom Princípio. E garantiu que o hospital está funcionando muito bem.

Sobre o pagamento de profissionais, Adriano que é feita uma pesquisa de mercado. Ressaltou o trabalho realizado durante o tratamento do coronavírus. Disse que é separado o atendimento SUS do particular, sendo feita a devida prestação de contas. No encerramento, Adriana disse que o hospital está de portas abertas para qualquer tipo de esclarecimento. Garantiu que não existe nenhum tipo de desvio de dinheiro ou materiais. Ressaltou que o próprio hospital fez uma auditoria que comprovou que não há nenhuma irregularidade. Convidou os vereadores para irem ao hospital para tirar qualquer dúvida. Elogiou o trabalho de fiscalização feito pela Câmara de Vereadores através da CPI, para que seja dada a oportunidade de prestar esclarecimentos. Diz que assim como a auditoria, a CPI vai comprovar que não houve nenhuma irregularidade no hospital. Lamentou que seu nome tenha sido envolvido em algumas situações, mas espera que a verdade apareça e tudo seja esclarecido. Enfatizou ter muito orgulho em trabalhar no hospital desde 2009 e que a casa de saúde está cada vez melhor, com investimentos agora em ampliação e busca de instalação da tomografia. Citou ainda a importância da UPA, que tem onze anos de bom funcionamento.

Com o depoimento da diretora do hospital, encerraram as oitivas. Para a próxima terça-feira está prevista uma reunião interna e deve começar a ser montado relatório final que será apresentado para ser analisado pelos vereadores.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here