O presidente da Sicredi Serrana, Marcos Balbinot divulgou os números do balanço de 2018 Foto: Bárbara Salvatti

A história que a Sicredi Serrana começou a escrever mais de três décadas atrás teve, em 2018, um de seus capítulos mais memoráveis, especialmente no que diz respeito à conquista de resultados: a cooperativa financeira de crédito sediada em Carlos Barbosa cresceu 19,36% em resultado (no comparativo com o ano anterior). Também foi o período que contabilizou recorde de novos associados em um único ano – foram 12 mil sócios recebendo as boas vindas, permitindo ultrapassar a marca total de 105 mil associados. Esses e outros números estão compilados no Relatório Anual 2018, lançado na manhã de 19 de fevereiro e que, agora, começa a ser distribuído nos 23 municípios de sua área de atuação.

No levantamento – uma espécie de prestação de contas do trabalho consolidado – é possível verificar que os resultados da Sicredi Serrana atingiram R$ 61,3 milhões – R$ 10 milhões a mais do que em 2017. Esse acréscimo, na casa dos 20%, vem acompanhado de outras marcas que ratificam o ano histórico da cooperativa.

Em 2018, a cooperativa tornou-se a principal instituição financeira de crédito comercial e de crédito para o agronegócio em sua região de atuação – significa que, do total dos R$ 600 milhões em empréstimos disponibilizados pelos bancos, 46% foi concedido pela Sicredi Serrana. Esse setor é tão importante que, em 2018, uma agência exclusiva para o atendimento do agronegócio e da agricultura familiar, a Agência Agro, foi aberta em Farroupilha. Ainda, a Sicredi Serrana obteve, no ano passado, um crescimento de 59% na carteira de crédito comercial, o que a posiciona como a principal instituição financeira também nesse segmento.

Na contabilidade de 2018, a cooperativa também comemorou o acréscimo de 14% no número de ativos, chegando a R$ 2,05 bilhões. O crescimento de crédito foi de 43,5%. A inadimplência registrada foi de apenas 0,57%. O patrimônio líquido teve um aumento de R$ 48,4 milhões, o que representa um crescimento de 20,55%. Constituído por R$ 156,27 milhões em reservas legais, ele garante sustentabilidade para as estratégias de crescimento da cooperativa, principalmente ao atendimento das necessidades de crédito dos associados a longo prazo.

Gestão por propósito

Parte dessas conquistas está enraizada numa crença que começou a ser colocada em prática em 2015, quando a cooperativa entendeu a necessidade de ressignificar sua gestão, priorizando ainda mais o foco nas pessoas. À época, a Sicredi Serrana conquistava resultados expressivos, mas ao mesmo tempo percebia seus colaboradores desgastados com os processos da instituição. “A partir de então, focamos na parte humana, reestruturamos o setor de negócios da cooperativa e passamos a difundir os conceitos e práticas de uma gestão de propósito”, comenta o diretor-executivo da Sicredi Serrana, Odair Dalagasperina.

Caminhando com essa orientação, a cooperativa abriu mão da meta de produtos como controle da rotina de trabalho – decisão ousada para uma instituição de crédito. Os colaboradores ganharam mais autonomia e maior valorização nos processos de crescimento profissional – inclusive participando da confecção do Mapa Estratégico, o planejamento da cooperativa para o futuro – e os laços com os ideais cooperativos foram reapertados, como o interesse pela comunidade.

Nasceu na Sicredi Serrana o que é chamado de “fazer o bem”. A partir do interesse em realmente entender as necessidades do associado, lhe são oferecidas as melhores soluções a fim de gerar resultados e desenvolvimento regional. Como não há metas, fica mais fácil perceber que, na Sicredi Serrana, um produto não está atrelado a outro, criando uma confiança espontânea do associado na cooperativa. “É possível gerar resultados fazendo o bem, e fazer o bem está no centro do negócio. Como instituição financeira, nós temos como contribuir de forma profunda na vida das pessoas, e isso é fazer o bem na maior forma de excelência”, pondera o executivo.

Satisfação do associado e do colaborador

As mudanças foram centrais para as conquistas financeiras da Sicredi Serrana nesses últimos anos. E também estão atreladas à satisfação tanto dos associados quanto dos colaboradores da cooperativa. “Com o foco no associado, entendendo suas necessidades e gerando bons negócios, nós crescemos em resultado. Isso passa a ser uma consequência da qualidade de entrega do serviço prestado, não é o foco da organização, é uma consequência”, justifica Dalagasperina.

Em 2018, a pesquisa de Clima Interno, medida entre os colaboradores, mostrou uma favorabilidade de 86% quanto à satisfação de trabalhar na cooperativa. Segundo a empresa de consultoria que elabora o questionário, a Sicredi Serrana está com a nota média acima das demais empresas que ocupam a faixa das 10% com as melhores notas. Outra prova da satisfação é a presença do Sicredi na lista das melhores empresas para se trabalhar e também para iniciar a carreira, ambas publicadas pela revista Exame.

Quanto a palavra vai para os associados, o cenário reportado é igual. A ferramenta utilizada pela Sicredi Serrana para medir a satisfação de seus sócios, conhecida como NPS (Net Promoter Score, do inglês Saldo Líquido dos Promotores), apontou índice de 77%. Quando esse dado ultrapassa os 75%, significa que a empresa atingiu um nível de excelência.

Atuação comunitária

Fortalecer as comunidades onde está presente é uma marca não só da Sicredi Serrana como do cooperativismo. Assim, os valores captados na região acabam sendo reinvestidos aqui, diferentemente de outras instituições financeiras, que acabam tendo seus depósitos financiando crédito em grandes centros urbanos país afora. A riqueza fica na própria comunidade, impulsionando um círculo virtuoso de desenvolvimento regional.

Isso significa financiar projetos educacionais e culturais em escolas e associações, como ocorreu em 2018, através da primeira edição do Fundo Social. Com 1% das sobras destinadas para tal fim, a Sicredi Serrana investiu mais de meio milhão de reais em 129 iniciativas dessa natureza.

A Sicredi Serrana tem 422 colaboradores
Foto: Carlos Ferrari

Essa função de educar, formar e informar, um dos princípios do cooperativismo, também foi cumprida com o subsídio de até 80% da formação do associado, além do programa educacional “A União faz a Vida”, presente em 12 municípios, onde 500 educadores estimulam uma nova forma de aprendizagem para 3,6 mil alunos.

Também na linha educacional, o projeto das Cooperativas Escolares estimula o surgimento de novos empreendedores e de valores como cidadania. Presente em sete escolas de cinco munícipios – Carlos Barbosa, Bom Princípio, Barão, Boa Vista do Sul, São Vendelino e Boa Vista do Sul –, o projeto trabalha com a criação de cooperativas a partir de um objeto de aprendizagem. Assim, alunos aprendem, por exemplo, assuntos como custos de produção e margem de lucro.

A Educação Financeira é outra frente de atuação nesse campo da educação. Esse projeto já educou mais de 7 mil pessoas em empresas, entidades e até escolas. Em 2018, a inciativa foi reconhecida com o selo ENEF – Estratégia Nacional de Educação Financeira –, emitido pelo Comitê Nacional de Educação Financeira, formado por nove órgãos e entidades governamentais e quatro organizações da sociedade civil, que atesta a gratuidade da iniciativa e sua imparcialidade comercial.

Sobre a Sicredi Serrana

– A Sicredi Serrana atua em 23 municípios localizados na Serra e no Vale do Caí. São eles Barão, Bento Gonçalves, Boa Vista do Sul, Bom Princípio, Carlos Barbosa, Coronel Pilar, Cotiporã, Fagundes Varela, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Monte Belo do Sul, Nova Pádua, Nova Roma do Sul, Pinto Bandeira, Santa Tereza, São Marcos, São Pedro da Serra, São Sebastião do Caí, São Vendelino, Tupandi, Veranópolis e Vila Flores

– Nessas cidades, possui 31 agências físicas, para atendimento ao público

– Ao todo, tem 105.381 associados

– A cooperativa tem R$ 1,32 bilhão de crédito

– A Sicredi Serrana é o principal repassador de crédito rural e comercial na região

– A Sicredi Serrana tem 422 colaboradores

Deixe seu comentário