Logo após a Revolução Farroupilha, foram criadas duas colônias na região: Feliz e Winterschneis Reprodução/Internet

Em 1845 – logo após o término da Revolução Farroupilha – foi fundada a colônia de Feliz, por iniciativa do próprio Governo Imperial. Esta colônia estava situada no lado direito do rio Caí e teve como seu ponto central a atual cidade de Feliz, às margens do rio. Dali foi aberta uma picada (estrada ou caminho rudimentar) que subia o Morro das Batatas seguindo em direção à atual cidade de Alto Feliz. A área toda foi dividida em lotes, sendo que os colonos que ali se estabeleceram construíram suas casas junto à picada. Os lotes situados no lado direito da picada (para quem seguia na direção dos morros para o rio) se estendiam até as margens do arroio Forromeco.

Em 1846 – um ano depois da criação da colônia de Feliz – surgiu uma nova colônia na vizinhança, esta por iniciativa do colonizador João Guilherme Winter. Por isto mesmo foi conhecida inicialmente como Winterschneis, ou seja, Picada do Winter. O Vale do Caí ganhou, portanto, em dois anos seguidos, duas novas colônias. Uma de iniciativa do governo, onde as terras eram vendidas a preços bem acessíveis e outra de iniciativa privada, onde os lotes eram vendidos a preços de mercado. Por isto mesmo a Colônia de Feliz se desenvolveu mais rapidamente, sendo logo povoada por um grande número de colonos. Já o comerciante de terras João Guilherme Winter demorou algum tempo para conseguir compradores para as suas terras. Só depois de todos os lotes da colônia de Feliz haverem sido vendidos, os lotes comercializados por Winter começaram a ser adquiridos. A Picada do Winter situava-se na margem direita do arroio Forromeco, nas proximidades da foz deste arroio no rio Caí. Alguns anos depois esta mesma colônia ganharia um nome em português, pelo qual é conhecido até hoje: Bom Princípio.

Uma parte dos colonos atraídos para estas duas colônias era constituída por filhos dos primeiros imigrantes que se instalaram décadas antes no Vale do Sinos e em São José do Hortêncio. Tanto Jacó Felipe Selbach quanto João Guilherme Winter, os dois primeiros grandes líderes da colonização em Bom Princípio, eram originários de São José do Hortêncio. Outros vinham da Alemanha, especialmente da Prússia que passava por uma grave crise econômica e tinha sua população muito empobrecida.

Também foram atraídos para estas novas colônias os soldados que o Império do Brasil buscou na Alemanha para reforçar o seu exército na guerra contra a Argentina ocorrida nos anos 1851 e 1852. Eles pertenciam ao exército do condado de Schleswig-Holstein (situado na divisa da Alemanha com a Dinamarca), composto por homens que haviam participado, antes, da revolução liberal e nacionalista ocorrida na Alemanha nos anos de 1849 e 50. Logo depois do término deste conflito, o Império Brasileiro recrutou-os para lutar na guerra contra a Argentina. Conhecidos no Brasil pelo apelido de Brummers (palavra alemã que significa resmungões) muitos deles eram pessoas esclarecidas e tinham ideias muito avançadas em comparação com a população rio-grandense da época (e até mesmo na comparação com os colonos alemães que haviam imigrado há mais tempo e viviam no Rio Grande do Sul há décadas, um tanto isolados do mundo civilizado). A maior parte destes brumers, depois que terminou a guerra contra a Argentina, radicou-se no estado e vários se estabeleceram nas colônias do Vale do Caí, que estavam sendo criadas naquela mesma época.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here