Livro escrito por Renato Klein e Alex Steffen conta como o município de Tupandi conseguiu alcançar indicadores sócioeconômicos de países de primeiro mundo. Arquivo/FN

Os problemas sociais e econômicos do Brasil têm solução. Podem, provavelmente, ser solucionados de diversas formas. E uma das formas pelas quais os problemas brasileiros poderiam ser resolvidos está exposta no livro “Um milagre chamado Tupandi”.

Não se trata de uma ideia abstrata. Não se fala aqui de teorias. O que se narra é um caso real; um exemplo prático de como se consegue mudar uma realidade de atraso para transformá-la em progresso espetacular.

O exemplo é de um município. Um pequeno município. Mas se todos os municípios brasileiros seguissem a mesma fórmula, o país se tornaria próspero automaticamente. A prosperidade do país seria alcançada pela simples soma dos progressos de cada um dos municípios que o compõem.

O que se conclui deste caso exemplar é que um governo competente é capaz de conduzir o progresso de uma comunidade. A administração pública, que muitas vezes se constitui em entrave ao progresso, pode ser também o meio eficaz de promover o desenvolvimento. O caso aqui narrado é a prova irrefutável disto.

Outra verdade que fica demonstrada é a de que uma grande transformação como a ocorrida em Tupandi não requer o uso de fórmulas complexas e incompreensíveis para pessoas leigas. O método aplicado em Tupandi, e que pode também conduzir o Brasil para o progresso, é bastante simples. Basicamente, o seguinte:
A administração pública precisa ser austera, contendo gastos supérfluos para que sobre dinheiro para fazer investimentos úteis.

Feito isto, é preciso investir, no desenvolvimento econômico. E este investimento precisa seguir uma estratégia correta, focada nas melhores oportunidades que o município tiver para o o crescimento da sua produção. O município precisa investir em atividades para as quais ele é vocacionado. Além disto, o crescimento da produção deve resultar em forte retorno de impostos, para que a prefeitura possa, assim, repassar à população em geral os benefícios do crescimento econômico.

Seguindo estas três diretrizes, Tupandi conseguiu um desenvolvimento fantástico num prazo surpreendentemente curto. O município que era um dos mais pobres do estado tornou-se o mais rico e isto se refletiu na melhoria de qualidade de vida de toda a sua população. Seguindo o seu exemplo, outros municípios (ou estados, ou países) poderão obter progresso semelhante.

Poderia se dizer que estas idéias são óbvias, que todo mundo sabe disto. O valor do caso aqui narrado, então, está em provar que usando correta e aplicadamente esta fórmula tão simples é possível produzir uma fantástica (e pacífica) revolução, levando um município da miséria à riqueza em apenas uma ou duas décadas.

O milagre
Considera-se que ocorre um milagre econômico num país quando o seu Produto Interno Bruto (o valor de tudo que é produzido no país ao longo de um ano) cresce por um período de vários anos a uma taxa anual bem acima da média normal dos países (hoje em torno de 3 % ao ano). São bastante conhecidos os casos do Milagre Alemão, do Milagre Japonês e do Milagre Brasileiro. Todos estes países passaram por períodos de crescimento acelerado durante um certo número de anos. No Brasil, este fenômeno foi observado no final da década de 60 e início da de 70. Na Alemanha, ele ocorreu principalmente nas décadas de 50 e 60. No Japão, o período de crescimento acelerado foi mais longo e notável. Atualmente, fenômeno semelhante ocorre na China.

Em todos estes casos as taxas de crescimento anual alcançaram, no máximo, um percentual em torno de 10 % ao ano.

Por isto, é tão impressionante o fenômeno que vem ocorrendo no pequeno município de Tupandi.

Situado na região do Vale do Caí, este município conta atualmente com pouco mais de 3.000 habitantes. Emancipado em 1988, ele passou a contar com seu próprio governo a partir do início de 1989. De então até o ano 2000, o seu Produto Interno Bruto cresceu a uma taxa média de 28 % ao ano. Em alguns anos o crescimento esteve acima de 50 %. Com isto, em apenas onze anos a produção do município foi multiplicada por 15. Ou seja. No ano de 2000 a população de Tupandi produziu 15 vezes mais riqueza do que no primeiro ano da sua existência como município independente.

A admirável pesquisa realizada pelo professor Luis Roque Klering (ver site www.terragaucha.com.br), aponta os seguintes números.

Produto Interno Bruto (PIB) de Tupandi:
em 1989 US$ 2.062.245
em 2000 US$ 30.876.080
Crescimento no período: 1.398 %
Crescimento médio anual: 28 %

 

  • Texto escrito em 23 de agosto de 2009

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here