O nome da sociedade Matiel, no Pareci Novo, quando da sua fundação, era Deutsches Schützenverein Matiel. Ou seja, Sociedade de Tiro ao Alvo dos Descendentes Alemães de Matiel Renato Klein/FN

A integração da comunidade em torno de entidades culturais e esportivas é um fator fundamental para o desenvolvimento. Pesquisas demonstram que os países e regiões onde esta prática é mais intensa são as que mais progridem social e economicamente. Afinal, como se costuma dizer, a união faz a força.

Sendo assim, pode se imaginar o enorme benefício que a Sociedade Cultural e Esportiva Matiel já proporcionou ao povo desta localidade nos cem anos da sua existência. Uma ideia disto podemos ter graças à pesquisa realizada por Doris Gehm.

Embora situada no município de Pareci Novo, a localidade de Matiel é praticamente um bairro caiense. Fica do outro lado do rio. E foi ali que nasceu esta sociedade, no 29 de abril de 1906, por iniciativa de pessoas como José Weingarten, seu primeiro comandante, e Carlos Grusche, o primeiro presidente.

O nome da sociedade, quando da sua fundação, era Deutsches Schützenverein Matiel. Ou seja, Sociedade de Tiro ao Alvo dos Descendentes Alemães de Matiel. Como o nome indica, sua principal finalidade era promover o treinamento constante dos sócios no tiro ao alvo. Com isto, formava-se um Corpo de Segurança, apto para defender a comunidade. Mas servia, também, para proporcionar lazer e promover a amizade e a união dentro da comunidade.

Desde o início das atividades, a Sociedade Matiel também promovia bailes. Como a entidade ainda não contava com uma sede, os bailes eram realizados no salão de Cristiano Weber e os exercícios de tiro eram realizados na propriedade de Ferdinando Hoerlle. Com o tempo outros esportes foram incorporados às atividades da Sociedade, com destaque especial para o futebol que era praticado inicialmente num campo pertencente a Augusto Wunder.

Mulheres também atiram

Em 15 de fevereiro de 1919, a entidade passou a denominar-se Sociedade Esportiva do Matiel. Mas somente no ano de 1927 ela passou a contar com a sua primeira sede própria, num salãozinho bem modesto. Em 1939, a iluminação de carbureto foi substituída pela de lâmpadas elétricas.

A construção do prédio atual foi iniciada em 1955, depois de haver sido adquirida uma área de terras anexa à inicial (em 1950). Já em 1956 os bailes de kerb (que antes ocorriam no Salão Weissheimer) passaram a ser realizados no novo prédio. A sua construção foi possível graças a contribuições dos sócios (em dinheiro ou em trabalho), mas também contou com a ajuda de políticos, como o deputado Tarso Dutra, depois governador do estado. Em 1963 foi criada a biblioteca da Sociedade e somente em 1965 passou a ser permitido aos homens entrar nos bailes sem paletó. Neste mesmo ano passou a ser permitido às mulheres jogar bolão.

Stand de Tiro: a Sociedade Matiel mantém a tradição das antigas sociedades de atiradores da colônia alemã
Renato Klein/FN

As mulheres, inicialmente, não praticavam o tiro. E, nas festas do Tiro Rei, enquanto os homens atiravam, as mulheres praticavam o bolãozinho. Só em 1957 as mulheres passaram a participar, também, das competições do Tiro Rei. Uma vez por ano acontece na sociedade – até hoje – a festa do Tiro Rei, com um concurso para escolher o Rei e a Rainha do Tiro. E a competição é seguida de um grande baile no qual ocorre a coroação dos vencedores. Juntamente com o Baile de Kerb, este é o maior evento social da localidade.

Por volta do ano de 1980 a sede social ganhou grande ampliação com a construção do ginásio esportivo com quadra de futebol de salão.

Hoje a Sociedade Cultural e Esportiva Matiel continua muito ativa e soma 200 sócios efetivos e mais 150 jubilados (com mais de 35 anos de contribuição)*.

*Texto escrito em 17 de agosto de 2009.

 

Deixe seu comentário