Foto da família de Pedro Winter e Catharina Ledur de Bom Princípio, na década de 1920 Arquivo/Felipe Kuhn Braun

A vinda dos primeiros colonos alemães para o Rio Grande (entre os anos de 1824 e 1830) teve um enorme impacto no desenvolvimento da província, devido ao nível de educação e aos avanços tecnológicos que eles traziam consigo. Vinte anos depois não havia mais terras disponíveis no Vale do Sinos (onde se instalaram a maioria dos primeiros imigrantes). Por isto uma parte considerável dos novos imigrantes que chegavam, bem como dos filhos dos primeiros colonos que iam se tornando adultos e casando, foram sendo dirigidos para áreas ainda tomadas pelo mato: principalmente no Vale do Caí.

Por isto esta região teve um desenvolvimento espetacular até as primeiras décadas do século XX. Aconteceu naquela época – por aqui – algo semelhante àquilo que se observa hoje nas novas áreas de colonização do centro e norte do país.

A importância econômica, política e cultural que teve Bom Princípio até as primeiras décadas do século XX contrasta com o pequeno número de pessoas que habitavam a localidade que era, então, um distrito montenegrino.

Vejamos como eram retratados a freguesia, o distrito e o povoado de Bom Princípio no ano de 1914 pela obra Dicionario Geographico, Historico e Estatistico do Rio Grande do Sul, de Octavio Augusto de Faria.

Transcrevemos aqui o texto com a grafia original da época:
“Bom Principio – Freguezia do município de Montenegro e archidiocese de Porto Alegre. Data de Creação: Foi creada civilmente por lei provincial n. 1.213, de 10 de Maio de 1879 e instituída canonicamente em 5 de Fevereiro de 1880. A freguezia está unida a de S. Wendelino do Ferromeco, creada civilmente pela lei provincial n. 1.112, de 14 de Maio de 1877 e instituida canonicamente em 25 de Junho do mesmo anno. As freguezias unidas contam além das duas egrejas principaes, mais as seguintes capellas filiaes: a) N. S. da Piedade do Ferromeco; b) S. João Nepomuceno de Santa Luiza; c) S. João Francisco Regis de Badensenberg; d) N. S. da Natividade do Arroio Francez; e) S. João Baptista do Schafer Eck. A egreja matriz de N. S. da Purificação, festejada solenemente no dia 2 de Fevereiro, é um bellissimo templo parochial, que excede em tamanho ao da maior parte das matrizes de nossas cidades de campanha. Conta com alterosa torre e tres altares – estylo gothico. O altar mór possue a Santissima Virgem da Purificação ladeada á direita por Santa Izabel de Portugal e o anjo guardião dos meninos; á esquerda por S. Luiz Gonzaga e o anjo guardião das meninas. O altar lateral da direita é dedicado ao S. C. de Jesus e o da esquerda a S. José.

Bom Principio – Districto do município de Montenegro – V. Foi creado por acto municipal de 11 de Junho de 1897. População: Em 31 de Dezembro de 1900 contava 1.549 habitantes e em 31 de Dezembro de 1911 a população calculada era de 2.324 habitantes. Limita ao norte com o districto de S. Wendelino; a leste, com o municipio de S. Sebastião – pelo arroio Ferromeco e rio Cahy; ao sul, com o districto de S. Salvador. Linhas coloniaes: a) Bom Principio; b) Arroio das Pedras; c) Blumenthal; d) Piedade do Ferromeco; e) Trappenthal; f) Ferromeco; g) Petersthal; h) Nova Colombia; i) Babylonia.
Bom Principio – Povoado importante no municipio de Montenegro, séde de districto e de freguezia, situado á margem direita do rio Cahy e proximo á barra do arroio Ferromeco. Conta lindissima egreja parochial, Collegio do Sagrado Coração de Jesus – dirigido por Irmãos Maristas; Collegio de Santa Thereza de Jesus – dirigido por Irmãs de Santa Catharina; Collegio público estadual; Casa dos Padres; Estação telephonica municipal e agencia de correio. Conta uns 50 prédios e 400 habitantes.”

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here