Antigamente os velórios era feitos dentro das casas Reprodução/Internet

No Caí, a primeira funerária (Funerária Selbach) foi criada em meados da década de 1970. Antes disto, ainda era costume fazer o velório na casa da pessoa falecida. Aos poucos, foram surgindo funerárias nas demais cidades da região e até mesmo capelas mortuárias nos bairros e localidades. Com o que o velório em residências tornou-se uma raridade.

Algo semelhante ocorre mais recentemente com o surgimento de empresas especializadas na realização de festas de aniversário para crianças.

Assim como acontecia com os velórios, os aniversários infantis costumam ser realizados na casa da família, geralmente organizado pela mãe da criança aniversariante. No passado, todo o trabalho envolvido na organização do evento (inclusive a produção da torta, doces, salgadinhos e refrescos) era executado pela mãe. Hoje, como a mãe – geralmente – trabalha fora de casa, não tem tempo para cuidar da organização das festinhas de aniversário dos filhos. Com isso, esse costume está sofrendo grande transformação.

Inicialmente, tornou-se mais fácil e econômico comprar as comidas e bebidas em confeitarias e supermercados. E agora empresas fornecem o local e todos os serviços envolvidos na realização deste tipo de festa. A empresa cuida de tudo. Desde a comida e bebida, servida por garçons, até a expedição dos convites, via internet.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here