Guinho ficou conhecido por sua boa comunicação e por ajudar os mais necessitados Arquivo/FN

O vereador Érico Meireles morreu no dia 7 de setembro de 2009, aos 70 anos. Ele era de origem humilde. Morador do bairro Navegantes em São Sebastião do Caí, popularmente conhecido como Coréia. Apelido surgido na década de 50, quando aquele país (hoje muito desenvolvido) era famoso no mundo pela sua miséria e sofrimento do seu povo, já que lá ocorria a Guerra da Coréia (ocorrida entre os anos de 1950 e 1953).

Quando jovem, Érico trabalhou na turma do tico-tico, nome popular que era dado aos rapazes que trabalhavam para a prefeitura retirando o inço que crescia entre as pedras de pavimentação das ruas. A ferramenta que ele e seus colegas utilizavam era uma espécie de faquinha feita com a folha de lata de azeite.

Muito comunicativo e simpático, Érico conseguiu subir na escala social. Trabalhou na fábrica de sorvetes Kibom, que funcionou no Caí na década de 60 (no prédio que depois foi da fábrica Griffith e que hoje abriga a Academia PRP, Ferragem Bueno, Creche Branca de Neve e outras empresas). Com o tempo tornou-se motorista/vendedor, obtendo sucesso nesta função, graças à sua comunicabilidade. Pode assim construir uma boa casa no seu bairro Navegantes, que se destacava das demais. Muito humano, ele sempre ajudou muito os vizinhos e a toda a população. Virtude que acabou resultando na sua candidatura e na eleição para vereador. Ele cumpriu vários mandatos, primeiro pelo PMDB (até o segundo governo de Egon Schneck) e depois pelo PP (nos dois governos de Léo Klein e ainda no governo de Darci Lauermann, até a sua morte).

Foi, também, presidente da Câmara de Vereadores. Como vereador, Guinho procurou atuar muito junto à Secretaria Municipal de Saúde, onde procurava facilitar o acesso das pessoas humildes e desinformadas aos benefícios que a secretaria tinha a oferecer (consultas, exames, encaminhamento para internações, remédios gratuitos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here