A Fazenda Pareci, de José Ignácio Teixeira Jr , tinha terras em ambas as margens do rio Caí

Nas imediações da atual cidade de Pareci Novo, o fazendeiro José Ignácio Teixeira Jr tinha terras em ambas as margens do rio Caí. Na margem esquerda (perto do vilarejo de Capela de Santana, que já existia na época), as terras eram de campos, próprias para a criação de gado. Na margem direita elas eram cobertas por matas nativas. Nesta margem direita, as terras estendiam-se desde a foz do arroio Maratá até perto da foz do arroio Forromeco. Compreendiam, portanto, os territórios dos atuais municípios de Pareci Novo, Harmonia e Tupandi.

Antes da colonização alemã eram terras de pouco valor, pois ninguém ali habitava. Nem mesmo os índios, por serem nômades, podiam ser considerados habitantes da região. Era um verdadeiro deserto. Um ou outro homem branco, com ou sem família, tinha sua casa junto ao rio Caí, como era o caso do fazendeiro Manuel dos Santos Borges, que estabeleceu-se num local próximo à atual cidade de São Sebastião do Caí em 1806. Por volta de 1820, o Ferromeco foi morar na margem direita do arroio que ganhou o seu nome.

A ocupação da região de florestas do Vale do Caí progredia gradualmente, de forma lenta, no sentido da foz às nascentes. Sempre junto ao rio ou arroios.

Deixe seu comentário