O caiense Carlos Henrique Hunsche escreveu um dos melhores livros sobre a imigração alemã no Brasil Reprodução/FN

O pastor Heinrich Hunsche, depois de migrar para o Brasil, fixou-se em Linha Nova. Um de seus filhos foi o médico Carlos Hunsche, que estudou na Alemanha e exerceu sua profissão no Caí. Ele manteve um pequeno hospital particular, que funcionava junto ao cais do porto, com frente para o rio. Entre os seus filhos, dois tiveram grande destaque: o historiador Carlos Henrique Hunsche e o empresário Werner Hunsche. Este último foi o presidente da Imcosul SA Importação e Comércio, que chegou a ser uma das maiores redes de lojas do estado. A empresa foi vendida ao Banco Maisonave, em 1990 e, depois disto, entrou em séria crise que acabou na sua falência.

Nascido no Caí, Werner Hunsche é mais um exemplo de caiense que teve grande destaque como comerciante em Porto Alegre. Ele destacou-se, também, por ser um grande velejador e um dos fundadores do clube Veleiros do Sul, de Porto Alegre, no ano de 1934.

O jovem Carlos Henrique Hunsche

Carlos Henrique Hunsche nasceu em 1913, no dia 25 de Julho – aniversário da chegada dos primeiros imigrantes alemães em São Leopoldo. Seu avô foi o pastor Heinrich W. Hunsche, que migrou para o Brasil no século XIX, estabelecendo-se na localidade de Linha Nova; seu pai foi o médico caiense Carlos F. Hunsche.

Estudou Teologia em Leipzig e doutorou-se em Filosofia e Letras em Berlim, Alemanha. Durante a Segunda Guerra estabeleceu-se como comerciante em Buenos Aires e depois retornou ao Rio Grande do Sul.

Destacou-se, então, como estudioso da imigração alemã para o Rio Grande do Sul. Escreveu monumental obra sobre o assunto, publicada em cinco volumes.

O período em que Carlos Henrique Hunsche viveu na Alemanha coincidiu com a ascenção de Hitler e é compreensível que ele, jovem, tenha se empolgado com os grandiosos projetos dos nazistas.

O doutor Nicanor Letti (médico porto-alegrense e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul) faz o seguinte relato sobre o caiense Carlos Henrique Hunsche.

“contou-me o Dr. Carlos Hunsche que o grupo nazista rio-grandense tinham a ideia de criar um país na sul-américa formado pela união do Brasil, Uruguai, Argentina, Paraguai e Chile, antecipando-se ao atual Mercosul. Os ideólogos eram todos brasileiros mas estavam estudando na Alemanha. Eram Fritz Sudhaus e Gottfried Dohms. O Dr Karl Heinrich Hunsche foi assistente -jornalista do Ministro do Interior Joseph Goebels, e transmitia em ondas curtas, um programa radiofonico chamado “salada mista” era escutado por toda a colania alemã e italiana, nas terças-feiras, à noite. Estas ideias foram discutidas na Alemanha em 1937, em Beuneckenstein no “Deutschebrasilia nischer Arbeitskreis”. Nesse encontro escolheram Blumenau para ser a capital, com população de origem alemã e sua proximidade da costa atlântica.”

Em São Sebastião do Caí, a população de origem germânica ouvia as rádios alemãs e a verdade é que estas pessoas, na sua grande maioria, torcia pela vitória da Alemanha na guerra.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here