Doutor Gama foi o idealizador da primeira unidade psiquiátrica em hospital geral do Rio Grande do Sul inaugurada em 1974. Arquivo/FN

Nascido em Porto Alegre no dia 31 de outubro de 1943, Ravardiére Gama estudou sempre em escolas públicas. Em dezembro de 1963 concluiu o Curso de Técnico Agrícola pela Escola de Agricultura de Viamão-ETA. Em janeiro de 1964 prestou exame vestibular para a Faculdade de Medicina na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e foi aprovado.
Ravardiére Gama formou-se em Medicina pela UFRGS, vindo a trabalhar em São Sebastião do Caí em abril de 1970 a convite do agente da recém criada agência do antigo INAMPS, veio trabalhar, como Clinico Geral e Medico Perito Coordenador de Área abrangendo as cidades de São Sebastião do Caí, Montenegro e demais municípios vizinhos. Recebeu logo uma excelente acolhida do doutor Bruno Cassel, médico muito humanitário pelo qual passou a sentir grande estima e admiração.

Tomando conhecimento da realidade da saúde, em especial da Saúde Mental na cidade de São Sebastião do Caí e das demais cidades vizinhas ficava muito preocupado com os casos psiquiátricos que necessitavam de internação. Todos iam para Porto Alegre. Muitos destes pacientes, oriundos desta região de colonização alemã, nem português falavam. Alem do sofrimento psíquico, da distancia do seu meio social e familiar tinham que encarar a vida da capital. Com a aceitação da Sociedade União Popular, na época proprietária do Hospital Sagrada Família, representada na pessoa do Sr. Antonio Kaspary, Presidente desta Sociedade idealizou e fundou junto com sua esposa Terapeuta Ocupacional Maria Conceição Gama, a primeira Unidade Psiquiátrica em Hospital Geral do Rio Grande do Sul inaugurada em 1974.

Foi destinada para isto uma ala do prédio do Hospital Sagrada Família, com 800 metros quadrados. A esposa do Dr. Gama, Maria Conceição, juntamente com a Irmã Leocádia, se puseram a trabalhar nas reformas necessárias para adequá-las às normas exigidas pelo Ministério da Saúde. Elas usavam uma fita métrica de costureira para fazer as medições nas paredes do prédio. Mas, com o tempo, todas as dificuldades foram vencidas até que a Unidade Psiquiátrica do Hospital Sagrada Família chegasse às excelentes condições que apresenta atualmente.

O doutor Gama conta que teve de vencer muitas resistências para implantar o projeto que havia idealizado. Havia, na época, muita resistência e muitos tabus com relação aos portadores de doenças psiquiátricas. A concepção da época era a de que os doentes psiquiátricos deviam ficar reclusos e distantes da convivência social e familiar. Uma situação que levava, quase inevitavelmente, ao agravamento dos problemas dos pacientes. Para muitas destas pessoas, ser levado para o hospício significava algo semelhante a uma condenação à prisão perpétua.

Continua no próximo post…

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns ao Dr.Ravardiere Batista Gama q.Deus continue iluminando essa grande pessoa e q.lhe dê mta.saúde e felicidades junto a sua esposa Maria Conceição Severino.bj.e Abraço.

Deixe uma resposta para Kátia Gama Detoni Cancelar resposta

Deixe um comentário
Please enter your name here