Unindo-se a outras empresas do setor, em 1936 a Oderich dá origem à empresa Frigoríficos Nacionais Sul-Brasileiros S/A. Arquivo/Oderich

Em 1916, a fábrica era divulgada no Rio de Janeiro como uma grande empresa. Um prospecto da época dizia que ela ocupava área de 2.864 metros quadrados e dispunha de quatro grandes frigoríficos. Produzia presuntos, bacons, paios etc, além de conservas de carnes e legumes. Uma máquina a vapor de 125 PS movia dois compressores de 40.000 calóricos cada um, responsáveis pela refrigeração das câmaras frias. Para a época, era tecnologia de ponta.

O abate de animais “varia de 12.000 a 15.000 suínos e de regular número de rezes”, propagava a empresa no seu folheto e, ainda, que “todos os animais abatidos são submetidos a exames bacteriológicos e as conservas analysadas pelos laboratórios de analyses do Estado e Municipal da Capital Federal”.

E, ainda segundo o prospecto de 1916, “A nossa exportação actualmente não se limita somente aos demais Estados do Brazil. Extende-se ao Perú e Bolivia, onde os nossos produtos tem tido larga aceitação.”

No almoço oferecido naquele ano à imprensa carioca (“preparado unicamente com conservas da fabrica do Cahy”) constavam, “presunto viande a la gelée e patés, lingua de porco com purée, salsichas com mostarda, feijoada completa à gaúcha, gallinha ao milho verde, lingua a Oderich (com cenouras e nabinhos).

Frigoríficos Nacionais Sul Rio Grandenses

No forte desenvolvimento alcançado ao longo das suas primeiras décadas de atividade, a Oderich ampliou suas atividades para duas filiais: uma implantada no então distrito caiense de Nova Petrópolis e outra adquirida em Lajeado. Esta, maior do que a própria matriz.

Nesta época, a empresa chegou a exportar mel para a Europa e línguas bovinas, em latas de seis libras, para a Inglaterra.

Em 1936 a Oderich associou-se a outras empresas do ramo formando a empresa Sociedade da Banha Sul Rio Grandense Ltda e a nova empresa implantou em Canoas um grande frigorífico que, entre outras coisas, dominava o fornecimento de carnes para os açougues de Porto Alegre. Os irmãos de Carlos Henrique Oderich, Ernesto e Max, ocupavam cargos destacados nesta grande e modelar empresa.

Pelo ano de 1940, a Sociedade da Banha passara a se chamar Frigoríficos Nacionais Sul Brasileiros Ltda e mantinha a fábrica do Caí em plena atividade.

Eram produzidas, nesta época, conservas das marcas Oderich e Sol, tanto de carnes como de legumes. As principais eram salsichas tipo vienense, presuntos cozidos ovais, patés, língua de porco e de boi, lombo de porco, corned pork, paio e chouriço tipo português, salame à Lionnaise, chouriço de sangue, galinha ensopada, lingüiça em banha, mortadela, feijoada completa branca e preta, pepinos em vinagre, pepinos em mostarda, choucroute (Sauerkraut), cenouras, nabinhos, feijão verde, espinafre, mostarda em potes, petits-pois. E, além destes produtos que eram frigorificados, a fábrica Oderich ainda produzia toucinho de diversos tipos, presunto, paio e salame italiano.

Deixe seu comentário