Ainda bem jovem, Cesar foi secretário municipal e prefeito de Bom Princípio Arquivo/FN

O terceiro prefeito de Bom Princípio foi Cesar Luis Baumgratz. Ele era filho do casal de comerciantes José Adelmo Baumgratz e Maria Ofélia Schneider Baumgratz. Nasceu em 24 de janeiro de 1962 e viveu seus primeiros anos na Piedade, onde situava-se o armazém colonial de seus pais. Cesar é irmão de Mara Regina Baumgratz Reichert, hoje contadora em Novo Hamburgo; Jair Baumgratz, industrial e ex-prefeito de São Vendelino e Vanderlei Baumgratz, empresário em Bom Princípio. Como em Piedade havia apenas uma escolinha rural, Cesar foi morar na casa de seus avós maternos, em São Vendelino, para poder freqüentar a Escola Estadual Leonardo Fritzen.

A escolinha de Piedade era unidocente, ou seja, uma única professora ensinava para os alunos das diversas séries. Na escola de São Vendelino, Cesar teria ensino de melhor qualidade e aprenderia a falar melhor o português, uma vez que em Piedade o alemão ainda era praticamente a única língua falada pelas famílias. Ao fazer a quinta-série, porém, ele voltou para casa e estudou na escolinha local.

No ano seguinte – 1974 – Cesar ingressou no Seminário São João Vianney, em Bom Princípio. Ficou ali por um ano apenas e depois transferiu-se para o Seminário de Gravataí, onde permaneceu de 1975 a 1979. Em 1980 ele passou a estudar no Seminário de Viamão, fazendo já o curso de Filosofia, com nível superior.

No ano seguinte, no entanto, Cesar desistiu da carreira sacerdotal e passou a trabalhar no banco BCN, em Porto Alegre. Conseguiu este emprego porque conhecia o gerente de câmbio do banco, que era de São Vendelino. Depois de algum tempo, foi transferido para a agência do BCN em Novo Hamburgo. E, pouco depois, passou a trabalhar na agência do banco Comind nesta mesma cidade. Enquanto isto ele cursava a faculdade de Direito, na UNISINOS, onde formou-se em 1985.

Enquanto estudava e trabalhava em Porto Alegre e Novo Hamburgo, Cesar continuou frequentando a sua terra de origem, participando de atividades religiosas e esportivas. Quando formou-se advogado, abriu escritório em Novo Hamburgo, mas no ano seguinte tinha seu escritório também em Bom Princípio. Em 1989 casou-se com Vera Lúcia Backes, de Bom Princípio.

Na política, Cesar começou a se destacar como líder estudantil, na UNISINOS. Em 1982, quando ocorreram as primeiras eleições municipais de Bom Princípio, ele chegou a participar das campanhas políticas. Mas não tomou o partido de nenhum dos candidatos. Discursava nos comícios de todos eles, falando ao público apenas sobre a importância da participação política e da escolha consciente dos candidatos.

De Secretário a prefeito

César Baumgratz tornou-se patrão do CTG de Bom Princípio, que ainda não tinha a sua sede. Visando resolver este problema fez muitos contatos com o prefeito Hilário Junges e daí resultou que César acabou sendo convencido a filiar-se ao PFL (partido de Hilário e de Remi Backes, irmão de Vera Lúcia).

No final do governo de Hilário Junges, em 1988, César Baumgratz passou a prestar assistência jurídica à prefeitura de forma voluntária. Começou ali a desenvolver seus conhecimentos jurídicos na área de administração municipal, que hoje constitui-se na sua especialidade. Fez, inclusive, curso de pós-graduação em Direito Público.

No mesmo ano de 1988 o vice-prefeito José Ledur foi escolhido para ser o candidato do PFL a prefeito e ele impôs uma condição para aceitar a indicação: só concorreria se o seu vice fosse César Baumgratz. Entre os motivos da escolha estavam o fato do jovem advogado não apresentar rejeição e a sua boa imagem resultante das atividades religiosas e esportivas. Mas José já estava contando com César para cuidar do gabinete enquanto ele se ocuparia da administração de obras.

José Ledur elegeu-se prefeito e César Baumgratz passou a ser o vice-prefeito de Bom Princípio, aos 26 anos. No governo, César cuidava de grande parte da administração. Ia, por exemplo, a Brasília para buscar recursos e era ele que atendia o público no gabinete. Em 1990 foi o presidente da Festa do Moranguinho.

Na eleição de 1992, César foi o escolhido do PFL para ser candidato a prefeito. Tendo o cunhado Remi Backes como seu candidato a vice, enfrentou Arno Carrard que concorreu pelo PMDB com Marcos Juchem de candidato a vice. A disputa foi acirrada, mas o jovem candidato de 29 anos conseguiu vencer o emancipador de Bom Princípio pela apertada diferença de 146 votos.

No seu governo, César Baumgratz pode realizar grandes obras. Ele construiu a Escola Municipal 12 de Maio, na sede do município, e ampliou outras escolas, duplicando o número de alunos da rede municipal. Evitou o fechamento do Hospital, investindo na compra de equipamentos e instituindo o plantão 24 horas. Desenvolveu o Parque Municipal asfaltando as vias internas, construindo o Shopping Center e iniciando as obras do Centro de Eventos.
Aproveitando a estrutura criada no governo anterior, César asfaltou as estradas do Bom Fim Alto, Nova Colúmbia, Santa Terezinha e Bela Vista. O asfaltamento destas estradas resultou em forte impulso para o desenvolvimento das localidades beneficiadas. Pavimentou, também, várias ruas da cidade.

No seu governo César Baumgratz implantou o Programa de Agentes de Saúde em Bom Princípio, que foi um dos cinco primeiros municípios do estado a fazer isto. Implantou a telefonia rural em Arroio das Pedras, Morro São Pedro e Bom Fim Baixo.

Para elevar a arrecadação, instituiu a campanha Tirar Nota é um Bom Princípio e manteve os gastos com a folha de pagamentos no limite de 34 %, de modo a sobrar bastante recurso para realizar obras e proporcionar benefícios à população.

Como resultado de todo este trabalho (inclusive o das administrações anteriores), em 1995 Bom Princípio foi apontado como terceiro município mais alfabetizado do Brasil. E, em 1996, não havia nenhuma família no município que não contasse com abastecimento de energia elétrica. E isto foi conseguido apenas 15 anos após a emancipação.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Deixe um comentário
Please enter your name here