O roteiro Caminhos de Jacobina traz pontos que retratam a trajetória do episódio dos Mucker, que marcou a história de Sapiranga na segunda metade do século 19 Reprodução/Internet

Conta o padre Ambrósio Schupp, no seu livro Os Muckers, que o momento final da batalha dos Muckers ocorreu da seguinte forma:

“O pequeno grupo que ainda permanecia vivo e ao lado de sua líder sustenta, firme, a sua posição. Os tiros estrepitam, silvam as balas, relampejam as baionetas, rios de sangue correm. Cai morto o velho Sehn, logo em seguida Martinho, Jacó e Carlos – pai e três filhos jazem prostados em terra; só restava ainda Rodolfo.

Também dentre os bravos soldados de Dantas alguns vacilam, cambaleiam e, deixando cair das mãos a arma, rolam ao chão. Os outros, contudo, passando por cima dos camaradas, avançam sempre e vão deitando por terra, uns após os outros, os sectários.

O número dos Mucker cada vez se torna mais reduzido e cada vez mais desesperada a sua posição.

Nisso Jacobina, toda escabelada, o olhar desvairado, precipita-se para fora da choupana. De um salto, acha-se a seu lado Rodolfo Sehn pronto a sacrificar a vida por ela. Com olhar de louco, bramindo como tigre, parecia querer defendê-la de todos os lados a um tempo.

Jacobina é varada por uma bala. Ela vacila e, com as mãos tateando, procura um objeto a que se possa apoiar. Rodolfo corre a ampará-la e, cingindo-a com um braço, interpõe-se entre ela e os agressores, tentando desviar o último golpe.

Os dois conservam-se abraçados, um ao outro, freneticamente. Um soldado cala a baioneta e ambos, varados, rolam ao chão.”

Além de Jacobina, mais duas mulheres foram mortas no ataque ao acampamento Mucker.

Fim trágico

O doutor historiador Moacir Domingues, em seu livro A Nova Face dos Muckers, faz reparos a esta narrativa do padre Schupp. Baseado nos laudos médicos feitos na época nos corpos de Jacobina e seus seguidores, concluiu que é inverídica esta versão de que Jacobina e Rodolfo morreram varados por uma mesma baioneta. No laudo relativo a Jacobina consta que ela morreu com um tiro e um ferimento provocado provavelmente por um facão, não uma baioneta. Rodolfo morreu com três tiros e nenhum outro ferimento que pudesse ter sido provocado por um golpe de baioneta.

Jacobina teria morrido com um tiro e um ferimento provocado provavelmente por um facão
Reprodução/Internet

Moacir Domingues concorda, porém, com a versão de que Rodolfo, último homem a morrer entre os Mucker, procurou proteger Jacobina e as outras duas mulheres. Acredita que ela foi atingida por um tiro mortal na testa que deve ter-lhe causado a morte instantânea e que Rodolfo a amparou nos braços, sendo morto em seguida, atingido por três tiros. O golpe de baioneta que teria atravessado os corpos de Jacobina e Rodolfo seria um exagero dos narradores do episódio que foi aceita pelo padre Schupp e pelos jornais da época.

As duas mulheres que estavam ao lado de Jacobina eram Mariana Hofstätter e Catarina Arend. As três mulheres, pelo que se sabe, morreram lutando, atingidas por tiros.

Ao todo, morreram 17 Mucker no assalto final. Entre eles não se encontrava o marido de Jacobina, João Jorge Maurer. Permanece um certo mistério em torno do destino do curandeiro. Provavelmente ele foi morto meses antes do massacre do Ferrabraz.

Deixe seu comentário