As cheias do Rio Caí são um problema muito antigo para os moradores de São Sebastião do Caí Daniel Fuchs Klein/ArquivoFN

No século XIX, ocorreu uma enchente fora do comum, que ficou conhecida como Enchente do Barro Vermelho. Suas marcas ficaram registradas nas paredes brancas da casa de José dos Santos Borges (o segundo proprietário de terras na área da atual cidade de São Sebastião do Caí).

Conseguimos apurar que esta enchente ocorreu em 1878. Descobrimos isto através de Reinoldo Silvestre Klein. Ele disse que o seu pai lhe falava desta enchente, dizendo que ela ocorreu no ano do seu nascimento. Ou seja, em 1878.

Esta data foi confirmada, também, pelo pesquisador Mário Glaeser, que ouviu relatos dos filhos e dos netos do imigrante Frederico Guilherme Gläser sobre o evento.

Seus antepassados lhes contaram que choveu durante três dias consecutivos, sendo que os últimos dois, durante todo o dia e a noite.

As águas vinham descendo o rio em grande volume e com intensa correnteza, levando tudo o que estava no seu caminho. Não deu tempo de salvar quase nada. As águas mais volumosas desceram durante a noite, levando as plantações, casas, galpões, chiqueiros, estrebarias, demais benfeitorias e até animais. Por isto acontecer à noite, a dificuldade para evitar as perdas era maior e o prejuízo foi enorme. Consta do relato dos Glaeser, ainda, que a lavoura estava lavrada, pois era a época do plantio.

Em virtude desta desgraça, Frederico Guilherme Gläser decidiu mudar-se do local, construindo nova casa em lugar mais alto.

Deixe seu comentário